Buscar
  • Rosângela Aguiar

Alimentação saudável não depende de carne


Há algum tempo falei aqui que o cozinhar é um ato de amor e que colocamos o sabor da nossa alma em tudo que fazemos ao misturar os ingredientes. E do poder que temos neste ato de cozinhar: o de alimentar corpos e almas, nossos e dos outros. E volto ao tema com um outro olhar. O das dietas milagrosas, filosóficas, saudáveis e às vezes nem tanto. Não sou nutricionista, mas leio muito a respeito em busca de uma alimentação saudável que faço para mim, para minha família, para meus cachorros e para meus clientes. E vou me ater hoje ao ato de não comer carne, ou seja, da alimentação vegetariana e indo um pouco mais além, a alimentação vegana.

E qual a diferença entre vegetariano e vegano? O que comem? Não vou me ater às questões que levam uma pessoa a deixar de comer carne ou qualquer alimento oriundo de um animal. Isto é uma questão de foro íntimo de cada um e não entro na discussão. Apesar de que alguns mais radicais fazem disto uma filosofia de vida, quase uma religião e alguns até insistem em nos converter para esta filosofia de vida.

Muita gente acha que vegetariano e vegano só come folha. Não! É uma alimentação tão rica e variada. O vegetariano não come carne, de espécie nenhuma. Nem peixe? Nem frango? Claro que não! Quando peixe, frutos do mar (qualquer tipo), frango, porco, e etc deixaram de ser animais? Então não comem carne. Já o vegano não come nada, mas absolutamente nada, de origem animal, nem o mel, uma vez que ele vem do mundo animal produzido pelas abelhas. Vai entender, não é mesmo? Mas eu respeito estas escolhas e produzo pratos específicos para vegetarianos e veganos.

Agora vamos parar com o preconceito de que uma pessoa vegetariana ou vegana come só folha e come mal, que vai ter problemas de saúde, etc. Basta ter uma alimentação balanceada, saber fazer as misturas certas e explorar o paladar para experimentar novos alimentos que são ricos em sais minerais, proteína, fibra e carboidrato. E aos vegeterianos e veganos peço: não tentem nos converter (rs). Busquemos o equilíbrio!

Sempre tive uma alimentação frugal, com muitos legumes, verduras, frutas e pouca carne. Sim. Eu gosto de carne, em especial peixe e frutos do mar, mas não sou desesperada por este alimento e fico semanas sem comer e sem sentir falta. E como minha filha se tornou vegetariana há alguns anos, me vi obrigada a variar o cardápio, até porque acabei, por tabela, me tornando uma quase vegetariana. Como disse eu gosto de carne mas não sou viciada como alguns (rs).

E nesta busca por um cardápio mais saudável e sem carne, por que em casa comemos mel e derivados de leite, tenho aprendido muito. E como o corpo fica mais leve e a pele mais bonita! Bem, pelo menos a minha, lembrando que como carne eventualmente, e de preferência a carne branca (peixe, frango e afins). E nesta busca surgem alguns pratos que vou compartilhar com vocês. Hoje vamos ensinar a fazer um prato que tem carboidrato, proteína e fibras, uma boa combinação para uma alimentação saudável e boa para quem quer emagrecer ou manter o peso já que é baixa em calorias.

A delícia de hoje envolve tomate, ricota, especiarias, batata salsa ou baroa, e folhas.

Tomate recheado com purê de batata baroa (ou batata salsa)

Ingredientes:

- 1 tomate carmem ou tomate caqui grande

- 3 batatas baroa ou salsa

- 1 colher de sopa de gergelim

- 50 gramas de ricota fresca

- 1 cenoura média ralada

- alface roxa

- 1/2 pepino japonês

- 1/4 de beterraba crua ralada

- sal a gosto

- orégano a gosto (ou outro tempero que preferir)

- azeite à gosto

- 1/2 cebola picada

- 2 dentes de alho picados

- salsa e cebolinha a gosto

Modo de fazer:

Descasque a cenoura, a beterraba e o pepino (prefiro descascado por causa dos agrotóxicos, se for orgânico não precisa descascar). Rale a beterraba e a cenoura e reserve. Pique o pepino em quadrados pequenos. Lave e separe a quantidade que desejar de alface roxa (mas pode ser a manteiga, crespa ou americana).

Descasque as batatas, corte em rodelas e coloque para cozinhar na água até ficar bem molinha para facilitar amassar. Lave bem o tomate e com delicadeza corte a parte de cima na horizontal para servir de tampa. Depois retire com cuidado parte da polpa e reserve ambos.

Primeiro prepare a salada misturando o pepino, a alface e a beterraba. Acrescente o sal e um fio de azeite e misture. Veifique o sal e reserve.

Pegue a cenoura ralada e misture a ricota e os temperos (salsa, cebolinha, sal, cebola e o orégano). E misture a polpa do tomate que você retirou. Misture tudo e coloque dentro do tomate até o limite. Polvilhe com um pouco de queijo mussarela ralado (é opcional) e coloque a tampa do próprio tomate. Leve ao forno médio (180 C) até derreter o queijo ou até o tomate ficar mole. Desligue o forno mas deixe o tomate ali para ficar aquecido. No microondas é cerca de 15 minutos.

Enquanto o tomate assa, desligue o fogo e retire as batatas da panela sem jogar a água fora, pois vamos precisar dela. Amasse bem e tempere com sal e as especiarias que preferir. Colque um fio de azeite na panela e frite a cebola e o alho. Quando estiverem dourados coloque o gergelim para dar uma leve fritada e acrescente o pure da batata. Misture tudo e coloque um pouco da própria água do cozimento até chegar na consistência desejada - mais mole ou mais encorpado.

Agora monte o prato. Você terá as fibras nas folhas e vegetais, a proteína nos queijos (ricota e mussarela) e o carboidrato no purê de batata baroa. Para os veganos sugiro fazer o recheio de cenoura com shimeji. E bon appétit!

E se você não tem tempo, tem medo de se aventurar na cozinha e quer uma alimentação saudável, fale com a gente. O Entre Palavras e Sabores tem um cardápio especial pra você. Entre em contato com a gente pela nossa página no Facebook ou no Instagram @entrepalavrasesabores. Até o próximo domingo.

#entrepalavrasesabores #receita #vegetarianos #veganos #govegan

apoie
No Brasil de Jair Bolsonaro, com a ascensão da censura e ataques recorrentes à mídia, o jornalismo independente se torna mais importante do que nunca. Não podemos nos calar.
Para isso, precisamos de você! Apoie o Jornal Metamorfose, jornalismo combativo e independente.
 
APOIE O JM!