Buscar
  • Lays Bárbara e Aléxia Rodrigues

Premiação DIGO 2018


Nesse domingo, o público conheceu os vencedores das competitivas, nas categorias Internacional, Nacional e Goiano do III Festival Internacional da diversidade Sexual e de Gênero de Goiás (DIGO). Foram premiados 25 filmes que se destacaram pela direção, roteiro, atuação, fotografia e conjunto da obra.

Fotos: Júlia Lee

O filme “Escape”, do jornalista goiano Vinicius Sassine, Mariana Paschoal, Julien Merienne e Maria Chatzi, foi premiado com o troféu Christian Petermann, que é concedido para as obras que expandem o tema da diversidade sexual e de gênero. Esse prêmio foi criado em homenagem ao falecido jornalista Christian Petermann que foi incentivador do festival DIGO.

Já o prêmio especial de melhor filme da mostra paralela Suzy Capó foi concedido ao filme “Transvivo” de Tati Franklin. A mostra foi criada em homenagem a Suzy Capó, grande incentivadora dos festivais LGBT+ no Brasil.

Mas, os grandes destaques da noite foram para o longa “Ursinho”, de Stéphane Olijynk, levando quatro prêmios. Ursinho conta a história de um jovem negro, homossexual, que vive na favela e trabalha com serviços gerais para sustentar sua pequena casa e seu pai, que vive preso em casa por conta de problemas de saúde. A trama do filme gira em torno da fantasia do personagem principal por Adonis, um um michê de alto nível de Copacabana. Abordando várias facetas de preconceitos internos e externos ao personagem, o filme se destaca pela fotografia e pela atuação do elenco. E se destacou ainda mais pela postura de Digāo Ribeiro, o ator que interpreta Ursinho. Segundo ele o filme seria de grande ajuda para outros garotos, no que tange a representação e a abordagem dos sofrimentos pelos quais seu personagem e muitos outros vivem, caso o filme chegasse ao Brasil. Apesar de filmado no Rio de Janeiro, o filme é uma produção francesa, está rodando em circuitos de festivais por vários países, mas, no Brasil, o DIGO foi sua primeira exibição pública.

Já o destaque goiano foi Netuno, de Daniel Nolasco. Levando três prêmios, o filme apresenta o flerte sem preconceitos. A diversidade se torna um labirinto de possibilidades que pode incomodar alguns e não outros. Confira abaixo a lista com todos os premiados:

CURTAS INTERNACIONAIS Melhor Direção: El tigre y la flor de Denisse Quintero, México Melhor Roteiro: No More We de David Fardmar, Suécia Melhor Atuação: No More We de David Fardmar, Suécia Melhor Filme: No More We de David Fardmar de Suécia Escolha do Público: Flesh de Tomas Repaux, França

CURTAS NACIONAIS Melhor Direção: No Fim de Mundo, Rio Grande do Norte Melhor Roteiro: Primavera de Fernanda de Débora Zanatta e Estevan de la Fuente, Curitiba. Melhor Atuação: No Fim de Mundo, de Victor Ciriaco Rio Grande do Norte Melhor Filme: Primavera de Fernanda de Débora Zanatta e Estevan de la Fuente, Curitiba. Escolha do Público: Majur de Rafael Irineu, Mato Grosso

CURTAS GOIANOS Melhor Direção: Netuno de Daniel Nolasco Melhor Roteiro: Só penso em... de Emiliano Freitas e Edinardo Lucas Melhor Atuação: Norval Berbari de Netuno Melhor Filme: Netuno de Daniel Nolasco, Menção especial: Só penso em.. de Emiliano Freitas e Edinardo Lucas Escolha do Público: Tendência de Jonathan Costa

LONGAS Melhor Direção: Ursinho de Stéphane Olijynk Melhor Roteiro: Ursinho de Stéphane Olijynk Melhor Atuação: Ursinho de Stéphane Olijynk Melhor Fotografia: O que seria deste mundo sem paixão de Luis Carlos Lacerda Melhor Documentário: Luana Muniz de Leonardo Menezes e Rian Cordova Melhor Filme: Ursinho de Stéphane Olijynk

MENÇÃO ESPECIAL - PRÊMIO DIGO

A Filosofia na Alcova de Ivam Cabral e Rodolfo Garcia Vasquez TROFÉU CHRISTIAN PETERMANN Escape de Vinicius Sassine, Mariana Paschoal, Julien Merienne e Maria Chatzi. MOSTRA SUZY CAPÓ Melhor filme (escolha do público): Transvivo de Tati Franklin, Espírito Santo

Lembrando que o festival continua até quarta-feira, 13 de junho, nas mostras paralelas: “Especial Curta-Metragem”, “Panorama Richy Mastro”, “Diverscilac” e “Centro Oeste LGBT+”. Além disso, serão reexibidos os longa-metragens e os curtas premiados. Todas as sessões acontecem a partir das 14h.

#DIGO2018 #premiação

apoie
No Brasil de Jair Bolsonaro, com a ascensão da censura e ataques recorrentes à mídia, o jornalismo independente se torna mais importante do que nunca. Não podemos nos calar.
Para isso, precisamos de você! Apoie o Jornal Metamorfose, jornalismo combativo e independente.
 
APOIE O JM!