Buscar
  • Júlia Lee

Encontrando culturas


Encontro de culturas, foto por Melito

O tempo passa num piscar de olhos quando o céu estrelado ilumina a história da vila de São Jorge, um paraíso que se encontra nas alturas da Chapada dos Veadeiros, em Goiás. Há 18 anos um encontro de culturas é feito todos os anos no período da brisa fria de julho, reunindo diversas etnias indígenas de todo o país para uma celebração da diversidade dos povos originários das terras tupiniquins.

Entre os dias 13 a 20 de julho as tribos Krahô (TO), Kayapó Mebengokré (PA), Fulni-ô (PE), Guarani Mbyá (SP), Xavante (MT) e os povos do Alto Xingu (MT) vão compartilhar entre si e com cerca de 30 mil turistas suas tradições. O evento conta com oficinas, uma feira de experiências sustentáveis e diversas procissões, trazendo uma verdadeira experiência transformadora para quem participa.

As atividades irão ocorrer na Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge (CCCJ), que se encontra no coração da vila.

O encontro de culturas tem a missão de empoderar a sociobiodiversidade brasileira, preservando as tradições multiculturais que encontramos pelo Brasil através do respeito e a valorização dessas culturas. “Empoderar é dar vozes para que essas populações também sejam ouvidas e possam transmitir seus conhecimentos. O nosso encontro é o fortalecimento da diversidade que forma o povo brasileiro”, afirma o presidente da CCCJ, Juliano Basso.

A experiência que vem desse encontrar de culturas transmuta o cotidiano dos grandes centros urbanos, deixando os humanos mais ligados com suas profundas raízes sociais. Afinal, o conhecimento continua sendo a luz para a ignorância.

Confira a programação completa no link: http://www.encontrodeculturas.com.br/programacao/geral

#Encontrodecultura #chapadadosveadeiros #CasadeCulturaCavaleirodeJorge #JulianoBasso #povosindígenas #indígena #goiás

apoie
No Brasil de Jair Bolsonaro, com a ascensão da censura e ataques recorrentes à mídia, o jornalismo independente se torna mais importante do que nunca. Não podemos nos calar.
Para isso, precisamos de você! Apoie o Jornal Metamorfose, jornalismo combativo e independente.
 
APOIE O JM!