Buscar
  • Marcus Vinícius Beck

Francisco, El Hombre toca em Goiânia na segundona de carnaval


Música

Banda vem à capital goianiense para se apresentar na Diablo Pub. Show marca despedida da turnê do disco “Soltasbruxa”

Juliana Strassacapa durante apresentação no Circo Voador, no ano passado. Foto: Júlia Lee

“A ideia é colocar na música a explosão que sentimos no palco” - Mateo Piracés-Urgate, vocalista e violonista

Basta uma audição rápida do disco “Soltasbruxa”, lançado em 2016 pela banda Francisco, El Hombre, para que consigamos sacar as críticas diretas ao presidente Jair Bolsonaro. Com letras engajadas, o conjunto não tem medo de apontar o dedo e dizer “esse cara escroto, mucho escroto” aos ultradireitistas em tempos onde a arte é vista como um elemento subversivo.

Esse engajamento começou a tomar forma em 2016, ano em que houve o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores. Liderada pelos irmãos Sebastían e Mateo Piracés-Ugarte, o quinteto mergulhou de ponta nas questões políticas e mostrou uma sonoridade eclética, dura e de um refinamento literário extremamente atento ao conturbado cenário político.

Dessa forma, não restam dúvidas de que é justamente isso que os fãs goianienses devem esperar do show que o quinteto vai fazer na próxima segunda-feira (4), na Diablo Pub. A apresentação marca o fim da turnê do disco “Soltasbruxas”, trabalho que colocou o grupo no topo do cenário musical alternativo brasileiro com canções dançantes e de fortíssimo teor político.

Repleto de explosões rítmicas, o show da Francisco, El Hombre se despede do álbum passando por músicas como “Calor da Rua”, “Bolsonada” e “Triste, Louca ou Má”. Aliás, essa última canção tornou-se hino feminista cujo clipe (gravado em Cuba, por sinal) possui mais de 13 milhões de visualizações, e fez parte da trilha sonora da novela global “O Outro Lado do Paraíso”.

No repertório, também há singles recentes que foram compilados para o mais novo trabalho da banda, “Rasgacabeza”, que tem data de lançamento prevista para o dia 15 de março. Tendo o fogo como combustível da vida, a música “Chama Adrenalina” – já disponível nas plataformas de streaming – deixa bem claro que Francisco, El Hombre de fato é energia pura.

“A ideia é colocar na música a explosão que sentimos no palco”, diz o vocalista e violonista Mateo Piracés-Urgate. Outra canção que provavelmente estará no setlist é “O Tempo é Sua Morada”, single previsto para ser lançado em novembro deste ano. Com uma levada suave e delicada, os versos da música ressignifica a morte e nos levam para uma faceta pouco conhecida do conjunto: o existencialismo.

Peça importante

Ilustração feita pelo jornalista Heitor Vilela para coluna “No Timbre”, que foi publicada no DMRevista entre 2015 e 2018. Foto: Rabiscos e Escarros

A Francisco, El Hombre virou nos últimos três anos peça importante na conexão latino-americana. Nos shows que a banda faz pelo País e pela América Latina, é comum vê-los estimularem o público de língua portuguesa a cantar em espanhol e quem tem o idioma de Miguel de Cervantes como língua materna a entoar canções em português.

Isso rola porque o grupo de rock, que mistura o rebelde gênero com música latina, defende a ideia de que não existem fronteira linguística entre as culturas que habitam a América.

Assisti duas apresentações da banda Francisco El, Hombre, e em todas foi possível sentir que o som da galera carrega acabamentos harmônicos que não encontramos com facilidade por aí. A primeira vez que os vi foi na última edição do Bananada, que aconteceu entre os dias 7 de 13 de maio do ano passado, em Goiânia.

Na apresentação, a política e o discurso militante foram presença marcante durante praticamente todo o espetáculo. Com participação especial do guitarrista paraense Lucas Estrela na música “Bolso Nada”, o quinteto criticou direta e certeiramente o então presidenciável Jair Bolsonaro. Foi uma festa de deboche e escárnio com o discurso propagado pelo ultradireitista.

A outra oportunidade que tive de assisti-los foi durante a 20ª edição do Porão do Rock, em Brasília. Em turnê para apresentar o disco “Soltasbruxa”, mesmo trabalho que vai encerrar a tour pelo Brasil e América Latina, a banda tocou para o público músicas como a faixa-título, “Calor da Rua”, Não Vou Descansar” e "Muro em Branco" .

Lembro que a plateia entoava gritos contra Bolsonaro, mas infelizmente meses depois ele subiu a rampa do Palácio do Planalto. Todavia, isso é assunto para outra hora, pois agora o que de fato posso dizer é que o show deles é dançante e emancipador.

E é isso que devemos esperar para a próxima segunda-feira.

Serviço:

Francisco, El hombre em Goiânia

Data: 04 de março (segunda-feira)

Local: Diablo Pub l R. 91, 632 - St. Sul, Goiânia - GO

Horário: 22h

Ingressos: R$30 a R$40

Venda: http://bit.ly/FEH_GO

#cultura #contracultura #franciscoelhombre #música #músicaindependente #carnaval