Buscar
  • Marcus Vinícius Beck

Alta temperatura política dá tom à Flip neste ano


Literatura

Com homenagem a Euclides da Cunha, festa literária terá, entre outras coisas, discussões sobre opressão e pautas identitárias

A escolha do escritor Euclides da Cunha, autor do livro-reportagem “Os Sertões”, lançado em 1902, como homenageado dá uma dimensão do que será a Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) neste ano. Inspirada pelas nuances políticas contidas na obra desse jornalista percursor do gênero Não-Ficção, a próxima Flip terá alta temperatura política, cujos temas que vão integrar a programação estão de alguma forma ligados àqueles abordados por Euclides em suas obras.

Anunciada na manhã da última quarta-feira (15), na Pinacoteca do Estado de São Paulo, a programação completa, de 10 a 14 de julho, aposta em nomes internacionais menos badalados, mas interessantes. É o caso das romancistas nigeriana Ayòbámi Adébáyò e venezuelana Karina Sainz Borgo, bem como do encenador José Celso Martinez Corrêa e da dramaturga Grace Passô. Nomes que fogem da literatura, como a cantora Adriana Calcanhoto e o crítico de cinema Ismail Xavier, também compõem a programação.

No espectro da opressão do Estado, digamos assim, há “Noite em Caracas”, de Karina. A obra narra a destruição provocada pelo chavismo na Venezuela e foi uma das produções literárias que mais chamaram a atenção durante a Feira de Frankfurt do ano passado. Já a nigeriana Adébáyò, autora de “Fique Comigo”, lançado no Brasil pela HarperCollins, reflete sobre a tradição poligâmica de sua terra natal, mas a obra conta como plano de fundo os conflitos políticos que assolaram a Nigéria na década de 1980.

Outros temas que serão pautas de discussões são a crise climática, a questão da ciência, a problemática indígena, os debates identitários de gênero. Todos os assuntos estão de alguma forma ligados ao enredo do livro principal de Euclides, que viajou como repórter do jornal O Estado de São Paulo para acompanhar a campanha militar contra Antônio Conselheiro e seus seguidores, na virada do século XIX para o XX, e voltou boquiaberto com as atrocidades cometidas pelo Estado contra os habitantes locais.

“A obra mudou o entendimento que se tinha sobre o interior do país e do homem sertanejo. Além de ser grande literatura do ponto de vista da forma, ela faz críticas morais, políticas e sociais altamente pertinentes no Brasil de hoje. Mais que tudo, mostra a transformação existencial de um homem que entra em contato com uma realidade desconhecida e precisa reorganizar seus valores”, diz a curadora da Flip, Fernanda Diamant.

Para o presidente da Fundação Casa Azul, Mauro Munhoz, responsável pela organização da festa, a ligação de Euclides com o jornalismo compõe um elo “importante com a Festa Literária”, cuja simbiose entre as duas formas de discursos sempre foi forte. “É essa conexão entre o território e a literatura que nos permite inovar todos os anos, mantendo-nos conectados às novas demandas culturais, artísticas e intelectuais do país, como o próprio autor ao seu tempo”, afirma.

Orçamento

A produção do evento acredita que o orçamento deste ano chegue a R$ 5,4 milhões. No ano passado, para efeito de comparação, o dinheiro era de R$ 5,3 milhões – o menor do evento literário em seus 12 anos. Ainda não há notícias se o BNDES vai, ou não, renovar o patrocínio para a próxima edição da Flip. Segundo os organizadores, falta captar grana para custear o show de abertura e a exposição de artes visuais, além do tratamento acústico e ar condicionado para a tenda principal.

Os ingressos da Flip devem começar a ser vendidos no dia 3 de junho e vão custar R$ 55 (com a possibilidade de meia-entrada) para o Auditório Matriz, que será montado no formato de teatro de arena e terá capacidade para abrigar até 512 pessoas. Além disso, também rola assistir à programação no Auditório da Praça, com 754 ingressos distribuídos de graça por mesa. Em breve, a organização deve disponibilizar maiores informações sobre a festa no site da Flip.

Confira a programação completa da Flip

O encenador José Celso Martinez Corrêa (foto: Eduardo Simões/ Divulgação)

Quarta-feira, 10 de julho

19h - 20h | Mesa 1 I Sessão de Abertura - Canudos

Walnice Nogueira Galvão

Quinta-feira, 11 de julho

10h30 - 11h15 | Mesa 2 | Bendegó

Aparecida Vilaça

12h - 13h15 | Mesa 3 | Uauá

Adriana Calcanhotto

Guilherme Wisnik

Nuno Grande

15h30 - 16h15 | Mesa 4 | Sincorá

José Miguel Wisnik

17h - 18h15 | Mesa 5 | Bom Conselho

Kristen Roupenian

Sheila Heti

19h - 19h45 | Mesa 6 | Serra Grande

Maureen Bisilliat

20h30 - 21h45 | Mesa 7 | Quirinquinquá

Gaël Faye

Kalaf Epalanga

Sexta-feira, 12 de julho

10h - 11h15 | Mesa 8 - Mesa Zé Kleber | Cumbe

Marcela Cananéa

Marcelo D’Salete

12h - 13h15 | Mesa 9 | Angico

Ayelet Gundar-Goshen

Ayobami Adebayo

15h30 - 16h15 | Mesa 10 | Tróia de Taipa

José Murilo de Carvalho

17h - 18h15 | Mesa 11 | Jeremoabo

Karina Sainz Borgo

Miguel Del Castillo

19h - 19h45 | Mesa 12 | Mata da Corda

Grada Kilomba

20h30 - 21h45 | Mesa 13 | Vaza-Barris [O Irapiranga dos Tapuias]

Ailton Krenak

José Celso Martinez Corrêa

Sábado, 13 de julho

10h30 - 11h15 | Mesa 14| Cansanção

Marilene Felinto

12h - 13h15 | Mesa 15 | Monte Santo

Ismail Xavier

Miguel Gomes

15h30 - 16h15 | Mesa 16 | Poço de Cima

Grace Passô

17h - 18h15 | Mesa 17 | Vila Nova da Rainha

Carmen Maria Machado

Jarid Arraes

19h - 19h45 | Mesa 18 | Massacará

Stuart Firestein

20h30 - 21h45 | Mesa 19 | Cocorobó

Cristina Serra

David Wallace-Wells

Domingo, 14 de julho

10h30 - 11h45 | Mesa 20 | Santo Antônio da Glória

Braulio Tavares

Mariana Enriquez

12h30 - 13h15 | Mesa 21 | Livro de Cabeceira

participação especial: Amyr Klink

Escritora Ayòbámi Adébáyò (foto: Reprodução)

Autores que vão participar da Flip

Adriana Calcanhotto

Ailton Krenak

Amyr Klink

Aparecida Vilaça

Ayelet Gundar-Goshen

Ayòbámi Adébáyò

Braulio Tavares

Carmen Maria Machado

Cristina Serra

David Wallace-Wells

Gaël Faye

Grace Passô

Grada Kilomba

Guilherme Wisnik

Ismail Xavier

Jarid Arraes

José Celso Martinez Corrêa

José Miguel Wisnik

José Murilo de Carvalho

Kalaf Epalanga

Karina Sainz Borgo

Kristen Roupenian

Marcela Cananéa

Marcelo D’Salete

Mariana Enriquez

Marilene Felinto

Maureen Bisilliat

Miguel Del Castillo

Miguel Gomes

Nuno Grande

Sheila Heti

Stuart Firestein

Walnice Nogueira Galvão

#flip #2019 #MetamorfoseNaFlip #Euclidesdacunha #literatura #jornalismoliterario