Buscar
  • Metamorfose

Dolores Huerta: a resistência reside em nós

Cinema

Filme sobre ativista Dolores Huerta está em cartaz na 9º Mostra Ecofalante

Foto: Jon Lewis, no protesto em Delano, 1966. Divulgação.


Júlia Aguiar


“Sí! Se puede”, grita a ativista Dolores Huerta em piquete. Sim, podemos construir a luta popular, com igualdade de gênero e raça, é o que prega há mais de cinco décadas a ativista norte-americana.

Dolores Clara Fernández nasceu em 1930 em Dawson, uma pequena cidade mineira nas montanhas do norte do Novo México. Seu pai era trabalhador rural e minerador de profissão, e foi um grande um ativista sindical, já sua mãe era empreendedora, mulher com personalidade forte e independente. Sua história como ativista começa em 1955, quando começou a se organizar politicamente na Stockton Community Service Organisation (Serviço de organização comunitária de Stockton, em tradução livre).

Em 1962 criou ao lado do ativista César E. Chávez a Associação Nacional de Trabalhadores Rurais, se tornando uma grande liderança pelos direitos dos trabalhadores rurais latino-americanos. Em 1963 trabalha na negociação do Auxílio para Famílias Dependentes, que garantia direitos básicos aos trabalhadores rurais. Em 1975, contribui para a promulgação da lei das relações de trabalho agrícola, que garantia aos trabalhadores rurais da Califórnia o direito de se organizar coletivamente e negociar por melhores condições de trabalho, sendo essa a primeira lei do tipo promulgada nos Estados Unidos.

Sua história de luta é longa, com muitos sacrifícios pessoais, além de extensa ficha em participação ativa em movimentos sociais diversos. Esteve presente nas lutas feministas, dos povos negros e latinos, além de ser ativista ambiental e pela vida digna.

A 9º Mostra Ecofalante traz o documentário Dolores, dirigido por Peter Bratt e lançado em 2017, disponível online e gratuitamente. O filme conta a história de uma ativista apagada pelo patriarcado, e narra de forma minuciosa sua longa vivência na luta por vida digna ao povo latino americano.

Um filme emocionante, pois, Dolores é um exemplo de garra, força e consciência. É difícil não derramar lágrimas ao ver milhares de trabalhadores rurais marchando por direitos básicos, sendo liderados por Dolores. Sem contar nos depoimentos de seus filhos, marcados por uma sinceridade inspiradora.


O documentário conta com produção de Peter Bratt e Brian Benson, fotografia de Jesse Dana e edição de Jessica Congdon. É de fato uma grande obra do audiovisual, mas principalmente, pela importância histórica de uma ativista que deveria e é exemplo de luta popular.



Assista o filme: https://ecofalante.org.br/filme/dolores
apoie
No Brasil de Jair Bolsonaro, com a ascensão da censura e ataques recorrentes à mídia, o jornalismo independente se torna mais importante do que nunca. Não podemos nos calar.
Para isso, precisamos de você! Apoie o Jornal Metamorfose, jornalismo combativo e independente.
 
APOIE O JM!