Buscar
  • Metamorfose

Lições atuais

O que ler?

Quarto volume da coleção Arsenal Lênin, Editora Boitempo, traz um clássico de teoria política sobre partido e Estado, com apontamentos mais do que necessários para se discutir as esquerdas Brasil e sobre uma unidade destas

Coleção Arsenal Lênin, editora Boitempo

Lays Vieira


Chapa eleitoral não significa união das esquerdas, mas essa discussão perpassa a discussão sobre partido. É aqui que a obra de Vladímir Ilitch Lênin se faz presente e necessária. Mas, de início, é importante destacar que, diferente do que muitos (especialmente leituras rasas) pensam, a obra não é um mero manual prático de organização para um partido revolucionário, a obra é mais do que isso, os temas e apontamentos do autor podem nos ajudar a pensar não só organização, mas também unidade, movimentos identitários, divulgação de informações, tomada de consciência, ideologia, etc.



Escrito entre o final de 1901 e início de 1902, “O que fazer? Questões candentes do nosso movimento” foi publicado como brochura em março daquele ano e tinha como objetivo, dentro de um cenário onde os vários grupos da esquerda tentavam uma aproximação e unificação internacionalizada, de oferecer uma contribuição ao II Congresso do Partido Operário Social-Democrata Russo (POSDR), se ocupando de problemas pouco ou não abordados previamente na tradição do movimento. Entretendo, seu impacto foi muito além, reverberando ao longo do século XX. As proposições de Lênin, inclusive, deram origem a utilização dos nomes “bolchevique” e “mencheviques”. Entre eles, as principais diferenças estavam na forma de organização e na concepção teórica sobre o desenvolvimento da consciência de classe do proletariado.



Lênin elabora uma estratégia nova, que leva em consideração as lições que podiam ser retiradas das derrotas anteriores do movimento, como a Comuna de Paris. Discute fortemente a questão do programa do partido e do trabalho com a base do movimento, posturas reformistas, além da forte defesa de um jornal, circulante em todo o território russo, a divulgar as ideias e discussão do proletariado, em um embate de ideias contra a ideologia burguesa, socializada e naturalizada nas novas gerações.



Segundo o próprio autor, o tema geral do livro gira em torno de três questões: o caráter e o conteúdo da agitação política (da época), as tarefas de organização e a criação, simultânea e por diversos lados, de uma organização de combate comum a toda Rússia. Porém, devido as próprias contradições e questões dentro do movimento daquele local e período, Lênin começa seu escrito colocando duas questões mais gerais: o que seria e como estava sendo usada (enquanto palavra de ordem) a noção de “liberdade de crítica”; e porque não se chegava a um acordo nem sequer sobre a questão fundamental do papel da social-democracia (lembrando que, nesse período, o termo não significa o mesmo que o adotado atualmente na realidade brasileira) em relação ao movimento espontâneo das massas (a questão da espontaneidade gerou debate interessantíssimo entre o auto e Rosa Luxemburgo, fica ai a dica, caro leitor).



Além de polêmico, o livro recebeu duas críticas principais, como apresenta o professor Valério Arcary no prefácio da edição: seria uma forma de substitucionismo burocrático da ação espontânea das massas (que se mostrou não honesta criticamente); e que seria responsável pela forma monolítica que assumiu a ditadura stalinista durante sete décadas (crítica que se mostrou desonesta historicamente). Entretanto, ambas não apagam a importância e atualidade do texto para todos aqueles que querem entender nossa realidade política atual e enfrentá-la.



Por fim, a de se ressaltar, para além de ótimos trechos com certeiras ironias colocadas pelo autor, que a edição feita pela Boitempo é de excelente qualidade, com clara preocupação na tradução e diversas notas que ajudam em muito o leitor a compreender mais facilmente a obra.


Nome: O que fazer? Questões candentes de nosso movimento

Autor: Vladímir Ilitch Lênin

Ano de publicação: 2020

Editora: Editora Boitempo

Coleção: Arsenal Lênin

Páginas: 224

Valor: R$49,00

apoie
No Brasil de Jair Bolsonaro, com a ascensão da censura e ataques recorrentes à mídia, o jornalismo independente se torna mais importante do que nunca. Não podemos nos calar.
Para isso, precisamos de você! Apoie o Jornal Metamorfose, jornalismo combativo e independente.
 
APOIE O JM!