• Metamorfose

Legalize Jah


Uma planta polêmica, de fato, com sua história atravessada pela indústria . A Cannabis sativa pode ser aproveitada 100% para uma produção diversificada, tendo assim diversas finalidades.

Acredita-se que a maconha seja de origem da região do Afeganistão, nós pés do Himalaia. Porém não se sabe ao certo como ela se dissipou pelo mundo, pois as dataçoes históricas da planta são de pelo menos 6000 anos atrás, como nas cordas feitas de cânhamo impressa em cacos de barro, na China.

Um achado arqueológico canábico foi encontrado no túmulo de um imperador chinês que existiu 4000 a.C, acredita-se que a planta era cultivada para o seu uso pessoal. Pois a caneta T'sao-Ching, a farmácopedia mais antiga do mundo, data a maconha como medicamento para a cura de doenças como: dor reumática, constipaçao intestinal, doenças do sistema reprodutor feminino e malária.

Já na Índia, medicinalmente a maconha é classificada como: analgésico, anticonvulsivo, tranquilizante e anestésico pelo livro Atharva Veda, um livro medicinal que acredita-se que foi escrito 1500 a.C.

Na renascença a planta era um forte produto na Europa, como por exemplo, Guttemberg que foi impresso em papel de cânhamo. Porém no século XXI ouve uma antipatia crista

No Brasil, a planta começa a ser usada pelos escravos trazidos da angola, em 1549, que traziam sementes amarradas em bonecas de pano e assim, os índios começaram a cultiva-la. Porém, os portugueses usavam cordas de canhamo em seus navios antes mesmo de 1500. Em 1785 o vice-rei manda uma carta para as capitanias brasileiras recomendando o plantio pois era de interesse da metrópole. Inclusive a rainha Cartola Joaquina, mulher do Rei D. João VI, tomava chá da erva.

No século 19 os estudos do francês Jean Jacques Moreau sobre os efeitos hedonísticos da cannabis fez com que o seu uso fosse aceito pela classe média e a elite em 1888.

Uma planta.

Acredito eu que a sua proibição está inteiramente ligada à problemática do sistema de poder, não somente ao capitalismo mas à cultura de lucro por si só.

Nossa coluna, que será postada toda Quarta-Feira às 16:20, convida a todos para mergulhar em um universo onde será debatido o consumo, o cultivo e a indústria que força a proibição de uma planta classifica como droga. É um espaço onde iremos trazer não somente informações e debates do mundo canábico, mas, a lisergia poética que se é experienciar essa iguaria conhecida no mundo inteiro.

Até Jah.