2018: Ano de sair da zona de conforto

January 14, 2018

Assistindo ao vídeo Piper, que ganhou o Oscar de melhor Curta-Metragem de Animação, comecei a refletir sobre como encarar os medos que tenho nesta vida. E é exatamente isto que a animação de 5 minutos nos leva a pensar: como sair da nossa zona de conforto. Aquele lugar onde tudo funciona se fizermos do jeito que conhecemos. E este é o pulo do gato.

 

Todos os dias temos tarefas e afazeres em casa, no trabalho, na família, E fazemos tudo sempre do mesmo jeito e nos acostumamos a repetir, como máquinas, o que aprendemos desde a infância, com nossos pais, na escola, na faculdade. E sair desta mesmice, de uma forma geral, nos dá medo. Esta é a zona de conforto.

 

Para quem ainda não assistiu esta animação, aqui o link . E sair da nossa zona de conforto é tão difícil que os autores do vídeo - produtor Marc Sondheimer e o diretor Alan Barillaro, levaram três anos para concluir o trabalho de forma a nos fazer entender.

 

Um filhote de ave (não sei mesmo qual a raça), é empurrado pela mãe a sair do ninho e a aprender a caçar a própria comida no mar da forma como o bando faz desde os primórdios de sua existência. O problema é que o pequeno não consegue, toma vários caldos no mar e fica com medo de tentar de novo e quer que a mãe lhe dê a comida na boca.

 

Mas a mãe sabe que ele precisa aprender a se virar sozinho. E é aí, faminto e com medo de se arriscar, que ele observa um filhote de caranguejo cavando um buraco na areia quando a onda chega. E ele faz o mesmo e descobre onde as conchas estão. Um novo mundo se abre para ele. E se farta de tanto comer diante dos olhares atentos das outras aves. E elas com certeza pensam, assim como a mãe do pequeno: como ele conseguiu?

 

A resposta é simples. Fazendo diferente e saindo da zona de conforto, da forma mecânica que o bando sempre fez e buscando uma alternativa para enfrentar o medo do mar. É isto! Fazer diferente. Sair da zona de conforto. Buscar alternativas para a própria vida e ser feliz sem ter que ser igual. Sem repetir o que os outros sempre fizeram e repetem ao longo de anos, décadas, milênios, porque desta forma sempre dá certo.

 

E se acharmos uma alternativa diferente para resolver o mesmo problema? Por que não tentar e se arriscar diante do desconhecido? Você deve estar pensando que não é fácil sair da zona de conforto. Não é mesmo. Mudar a forma como encaramos a vida, o trabalho, a criação dos filhos, é um desafio e tanto. É tentativa e erro. O vídeo nos mostra que não podemos ter medo de errar, porque errando podemos descobrir algo novo. Enfrentando nossos medos achamos algo novo. Este é o pulo do gato.

 

Em cinco décadas de vida,assim como a pequena ave da animação, tento sair da minha zona de conforto. Fazer diferente. Quem sabe achar uma nova profissão? Quem sabe voltar a estudar? Quem sabe mudar meus hábitos alimentares? Quem sabe me colocar no lugar do outro que discorda do meu modo de pensar e agir diante da vida para buscar uma forma diferente de encarar a minha existência neste plano? Este é o desafio que me proponho neste ano de 2018: Fazer diferente, sair da minha zona de conforto. Se você, caro leitor/internauta, não conseguiu entender bem o que eu disse, veja o vídeo e reflita. Tente. Arrisque. Faça diferente. Saia da sua zona de conforto.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

November 11, 2019

November 11, 2019

Please reload

Posts Recentes
  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle

Apoie o jornalismo independente e contribua para que o Jornal Metamorfose continue a publicar.

Fale com a gente: sigametamorfose@gmail.com