• Metamorfose

Muita mutreta pra levar a situação

A transmutação do brilho que pulsa por liberdade. Me encontro isolada nas cores vibrantes da mente efervescente que ecoa por questionamentos corriqueiros. Quiçá o etílico seja apenas a porta para os músculos tencionados pela escancarada pressão política.


Como fingir que nada está acontecendo quando sangues escurecidos são derramados pela obscuridade da própria existência.


As expressões morrem a cada julgamento moral das estruturas de poder.


Por que será que os humanos ignoram a densa realidade? O medo da base estremecer os privilégios explodem como átomos ativados pelos símbolos indecifráveis. Sente-se o corpo em sintonia, sabemos o poder da vida.