• Júlia Lee

Música que eu fiz pra Malu

Reflexos de cores na janela do busão, quem foi que disse que o caminho do jovem não corre pela reflexão da vida?


Tomando conta do cotidiano percebemos o caminho sem saída projetado em ilusões corriqueiras. Sombras invertidas de uma realidade visceral que fluí como o etílico em minha mente, pensamentos dúbios dos bobos de um circo montado.


Pobre seres que cegos correm para o abismo. Ecoam os gritos pelos tímpanos de uma existência sem sentido.


Sinto cheiro de revolta no ar, sintonizem nos canais de comunicação. As realidades vibram entre estruturas mal pensadas por egos desalmados.


Portais sensoriais de uma doentia necessidade ao absoluto! Que se foda os reflexos mentirosos de uma densidade transmutável.


Não viemos aqui em fuga.