• Máyron Victor

Por que falta tanto amor no mundo?

Seria só minha visão negativa do mundo essa reflexão ou é a realidade?


Os últimos acontecimentos no Brasil me fizeram perceber que ainda existe uma resistência muito grande em sentir empatia e se colocar no lugar do outro. A última greve teve resultados bastante significativos quanto à análise do comportamento social do brasileiro, que foram bem claros, quando se trata deste tipo de movimento.


Primeiramente, falta pensar no próximo: na hora do aperto, foda-se quem estiver morrendo, preciso garantir minha vida antes de qualquer coisa. Em segundo vem a preguiça de buscar informações e a crença nas fake news – “não sei se é verdade, mas se o povo tá fazendo, eu tenho que fazer igual sem averiguar os fatos”. Eu imagino que seja assim que funcione a cabeça de alguns brasileiros. Em terceiro, as pessoas ainda dão muita credibilidade para as grandes mídias que podem facilmente manipular as massas.


As cenas foram tristes em meio a luta e resistência, não por parte de quem estava na luta, mas por parte da população em que muitos disseram ter dado o maior apoio para os grevistas que pararam o país, mas como? Comprando 10 sacos de arroz e deixando os outros sem? Com a gasolina em preço exacerbado e as pessoas só pensando que poderiam perder o emprego se não fosse trabalhar de carro, tendo que abastecer com preços absurdos, com os supermercados superfaturando por que aumentou a procura, o brasileiro consegue ser muito criativo na hora do aperto, principalmente pra satisfazer seu próprio ego e estômago.


Qual a reflexão que fica?


Que não adianta a luta ser unilateral, não adianta reclamarmos o tempo todo do governo e a única coisa que podemos fazer é buscar ser melhor uns para os outros, sim, muita gente acha o papinho demagogo, mas no final o que todos cobram é isso. Ninguém muda a forma de pensar e agir, principalmente quando se há outras pessoas mais vulneráveis que se ferram o tempo todo.


Outra questão é a falta de informações reais para as pessoas buscarem, isso acarretou e vai continuar acarretando em grandes desastres por falta de informações, vejo isso na política, onde pessoas possuem ídolos políticos sem educação e escrúpulos, simplesmente por apoiarem causas estúpidas e preconceituosas que batem com os seus ideais (que são baseados em conceitos pré-estabelecidos e sem aprofundamento).


Apoiar um ou outro, fazer o que bem se quer da vida não está errado, pelo contrário, faz parte do movimento da democracia, porém, estamos com tantos aparelhos tecnológicos a nosso dispor, tantas informações literalmente na palma da mão com os smartphones e as pessoas usam toda essa força e benção tecnológica para disseminar ódio e falta de informação?!


Enquanto as pessoas não tomarem a decisão de buscarem por informações e saberem quem elas realmente são, a coisa vai continuar igual, o tempo vai passar, a tecnologia vai avançar e o ser humano vai continuar no paradigma da idade média se ele não for atrás do que realmente acontece por detrás dos panos.


É hora de dar um basta nisso, de usarmos a tecnologia da forma correta, de irmos atrás dos nossos amigos mais informados e pedir ajuda, explicações sobre o que acontece no País e no mundo, mas ficar de braços cruzados, focados apenas em nós mesmos, na minha comida e no meu conforto, sem pensar nenhum pouco que seja no próximo, a coisa não vai pra frente.


O Universo, o multiverso, o cosmos, micro, o macro, o social e o comunitário precisa de amor, precisa de pensar no outro, nos mais pobres, nos que estão morrendo de fome lá na outra extremidade do país. Lutar é preciso, mas é preciso que a luta seja coletiva, não como foi a última onde um grupo parou e o outro entrou em pânico. Todos temos que parar, todos temos que lutar por nossos direitos e por uma vida digna para todos, caso contrário, a coisa continuará na mesma e o tombo no final vai ser grande e difícil de se levantar.