• Júlia Lee

"Só garantimos o direito de publicar, publicando"



Sim, caro leitor, vivemos uma profunda crise dentro do jornalismo. Nuvens negras não nos deixam ver a realidade que está ofuscada no emaranhado de fake news que invade nosso cotidiano, sim caro leitor, a liberdade está em jogo. Na última quinta-feira (16), no país da "liberdade" mais de 300 jornais - grandes e pequenos, liberais e conservadores - seguiram o The Boston Globe e publicaram editoriais à favor da liberdade de imprensa, indo contra as afirmações do Presidente Donald Trump, que afirmou recentemente que os jornalistas são "inimigos do povo".


O movimento #EnemyOfNone (tradução literal: Inimigos de ninguém) visa lembrar que a liberdade de imprensa é sobretudo um direito fundamental da democracia, como escreveu o The New York Times: "Insistir em que as notícias das quais você não gosta são notícias falsas é perigoso para a vitalidade da democracia. E chamar os jornalistas de ‘inimigos do povo’ é perigoso, ponto". O jornalismo, em qualquer lugar do mundo, tem a função social de fiscalizar o poder, não é atoa que temos o apelido carinhoso de 'quarto poder', é claro que em uma democracia saudável e livre a imprensa é respeitada e tem o direito de publicar qualquer verdade - independente do seu peso político, apenas pelo simples fato de que esse é o nosso papel.


Porém, voltando para a realidade infortuna à qual habitamos, sabemos muito bem que não é nada disso que acontece, tanto no Brasil como em qualquer outro lugar do mundo. Veja bem, se a mídia é o quarto poder, claramente os 'donos do poder' dariam um jeito de controla-lá, certo? Nós jornalistas não somos ingênuos, sabemos muito bem que a grande mídia joga o jogo do poder, que certas verdades não podem ser publicadas pois vão contra quem paga as páginas do jornal, e quem fala demais acaba aparecendo morto ou é excluído do mercado tradicional. É uma realidade triste e cada dia mais fatal para a nossa liberdade, tanto democrática quanto de imprensa.


E afinal, o que é feito? Bem, tentamos. Resistimos da forma que nos é permitido nos lugares onde trabalhamos, temos uma profissão que paga pouco e que sufoca a verdade dentro de nossa consciência. Há jornalistas que simplesmente fazem o que é para ser feito e foda-se, há aqueles que tentam colocar nas entrelinhas verdades não ditas, quiçá ainda há quem acredite no jornalismo independente. Porém, sem você, caro leitor, nossa luta pela liberdade não é possível. Sem liberdade de imprensa (e liberdade dentro dos grandes veículos) não temos democracia, é importante que você saiba disso, e entenda que as notícias que você consome constroem sua realidade, e consequentemente a realidade coletiva.


Só tenho um recado para todos os jornalistas no mundo: nunca deixe de procurar a verdade, e publica-lá. Somente publicando que garantimos o direito de publicar.