Carta aberta ao Doutor Sócrates

November 9, 2018

Botequim Literário

 

Doutor Sócrates, aqui na terra vão jogando aquele futiba de quinta, tem bastante mimi bolsonarista, muito samba, algum rock n´roll, só quero lhe agradecer, calcanhar de ouro, a coisa está careta, sobra quase nada daquela maluquice de outrora e, pra acabar, o país elegeu um cara totalmente despreparado para a presidência. Rapaz, que fase, que doideira, que merda, desculpa aí, tradicionalíssima família brasileira.  

 

Veja só que bosta: a retórica agora é sobre Escola sem Partido, da turma do tal ultradireitista saudosista da Ditadura Militar (1964-1985), até o baixista do Pink Floyd, o Roger Waters, foi alvo do delírio coletivo desses tempos loucos. Sem chance. Qualquer ser com o mínimo de consciência sofre com o apelo à ignorância, e não é pouco o que essa galera tá fazendo, pasme, hombre de dios.

 

Pois é, xodó da Fiel, logo você, um dos cérebros por trás da Democracia Corintiana, sabe que tal iniciativa vale mais do que mil horas de baboseira pregada nas aulas de Moral e Cívica dos assassinos dos anos de chumbo (dizem até que a disciplina pode voltar no ano que vem, devido ao apelo dos fundamentalistas religiosos), logo você, nobre camisa 8, que sempre lutou contra o encaretamento de uma sociedade que se sente confortável na caretice, né?

 

Queria, juro que queria, te dar melhores notícias, mas não há nada de interessante rolando na terra tupiniquim, manifestações de rua, nada, nadinha. Desculpe mais uma carta deste escriba desgraçadamente epistolar, um verdadeiro animal lírico de botequim, um Paulo César Pereio do bairro goiano Criméia Leste. Quando partiu, doutor, eu era um menino, ou um piá, lá nas terras paranaenses contaminada pelo tal coro golpista e fascista destes últimos tempos, uma indecência que só.

 

É, ilustre camarada, ainda que eu não tenha te conhecido, senti uma necessidade quase romântica de escrever qualquer coisa... o futiba, nosso futiba de cada dia, não vai bem, pelo contrário, a gente desaprendeu a jogar bola, dá pra acreditar? Passamos uma baita vergonha na Copa do Mundo, coisa feia, perdemos pra Bélgica, seleção com uma ou outra figura carimbada, mas nada de celestial, não importa, foda-se, os caras mandaram o escrete canarinha mais cedo pra casa.

 

Mas, porra doutor, viste o Coringão? Sei que tinhas, algo nesse baile mais valia de outra vida. Acontece que a bolinha murcha jogada pelos representantes do bando de louco é um vexame total, até parei de ver o Timão em campo porque meu coração não ia aguentar mais sofrimento (já basta a dor do amor, aquela que faz com que fiquemos por horas a fio no bar enchendo o saco do garçom, uma tremenda vergonha um troço desses).

 

Ah, eterno 8 da Fiel, falo só por falar sobre essa coisa toda, afinal você sabe como é a parada. Nos vemos logo ali na esquina, mas que a caretice, a escrotidão e os neopentecostais estão fodendo o rolê, ah, isso estão, e nem é preciso ser muito inteligente para perceber. Resistimos, teu Partido dos Trabalhadores (PT) tá uma merda, mas ainda segue como maior legenda da Câmara de Deputados. Abraços

 

Do teu admirador,

 

Beck.

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

November 11, 2019

November 11, 2019

Please reload

Posts Recentes
  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle

Apoie o jornalismo independente e contribua para que o Jornal Metamorfose continue a publicar.

Fale com a gente: sigametamorfose@gmail.com