• Júlia Lee

Doce ilusão de amor

Luas cheias de tesão, queria que teus lábios cuidassem dos secos e perdidos momentos que tive. Quem diria, logo eu, que tenho coração que voa, pousei em casa de barro - refrescante e segura.


O aconchego de teu cheiro invade minhas memórias em tons pastéis, capturo cenas de amor pelas ruas secas da Vila de São Jorge. Quiçá o amor já esteja em mim e a luz que sai do teu olhar incendeia minha alma.

Quero colorir os mundos ao seu lado, ouvir os obscuros da existência com o calor de nosso amor. Sinto você aqui, olhando o céu e percebendo a imensidão do futuro.


Fica comigo meu bem, não me deixe só. De amargo já basta o café pela manhã, sorte a minha que te tenho ao meu lado.

Gostou do texto?

Com a ascensão da censura e ataques recorrentes à mídia, entendemos que o jornalismo independente se torna mais importante do que nunca. Não podemos nos calar.

Por isso precisamos de seu apoio, queride leitor. 

Apoie a mídia independente e ajude o JM a continuar publicando. Só podemos fazer nosso trabalho livre de amarras institucionais pois acreditamos que a imprensa deve se manter autônoma, para isso contamos com sua colaboração.