• Júlia Lee

Porto seguro


Sentirei saudades das luzes amareladas que refletem as paredes rosadas de meu porto seguro.


O barco parte sabendo que irá encontrar águas turbulentas pela viagem. Me questiono sobre meus privilégios com o amargo na boca que o medo impõe sobre meu estômago, deixarei para trás as frases esquizofrênicas que ecoam nas paredes da memória.

Será que os gritos um dia virarão paredes brancas de um novo hospício?