• Júlia Lee

Porto seguro


Sentirei saudades das luzes amareladas que refletem as paredes rosadas de meu porto seguro.


O barco parte sabendo que irá encontrar águas turbulentas pela viagem. Me questiono sobre meus privilégios com o amargo na boca que o medo impõe sobre meu estômago, deixarei para trás as frases esquizofrênicas que ecoam nas paredes da memória.

Será que os gritos um dia virarão paredes brancas de um novo hospício?

Gostou do texto?

Com a ascensão do fascismo no Brasil, ataques à mídia se tornaram recorrentes. Documentos perdidos, subnotificação de mortos, censura nos dados sobre queimadas e desmatamento, retirada de direitos duramente conquistados: o contexto da realidade está sendo censurado nos monopólios midiáticos. Venha lutar com a gente! É com seu apoio que conseguimos manter o Jornal Metamorfose no ar. 

Apoie a liberdade de imprensa, ela só é possível com você, caro leitor.