• Marcus Vinícius Beck

Até o momento, Criolo é a grande atração do Bananada

Música

Festival vai acontecer em agosto deste ano, mas ainda não há local definido. Evento é um dos mais importantes no cenário independente nacional

Palco do Bananada no ano passado. Foto: Divulgação

Os organizadores do Festival Bananada anunciaram nesta semana as primeiras atrações que vão fazer parte do line-up da 21º edição do evento, que vai acontecer entre os dias 12 e 18 de agosto. Um dos principais nomes é o cantor Criolo, que se apresenta mais uma vez no festival goianiense – quando subiu ao palco do Bananada pela primeira vez, em 2015, o artista estava em turnê para apresentar o disco “Convoque Seu Buda”, lançado um ano antes.


Além do rapper, outros nomes de peso no cenário alternativo vão poder ser vistos pelo público na Capital, como o paraense Jaloo, os portugueses do Paus e os colombianos da Frente Cumbeiro. Mas houve pouquíssimas surpresas em relação aos outros anos, quando aguardávamos ansiosamente o lançamento da programação para vermos quais shows iam agitar a monótona - e às vezes pedante - cena underground de Goiânia por alguns dias.


Se uma realização da magnitude do Bananada (organizado anualmente em Goiânia e cujo propósito central é a preocupação em movimentar a música local) não possuir nenhuma banda alternativa goiana no line-up, soa-nos muitíssimo estranho. Aliás, o que vem sendo discutido entre alguns fãs do festival que conversei nos últimos dias é justamente isto: e rock goiano, cadê?


Na edição do ano passada, o público pulou e vibrou durante a apresentação sensual e pulsante da banda Carne Doce, e foi praticamente só isso. É claro que outros artistas serão anunciados, mas é importante alertar aos organizadores à necessidade de mais bandas locais - de preferência que seja uma galera marginalizada, como Guerrilha Armada dos Coelhos Mutantes ou Cocada Coral, sucesso nos circuitos undergrounds locais - em detrimento aos hypes que são contratados por multinacionais milionárias.


Não é necessário salientar que o rock ‘lado b’ produzido em nosso Estado ganhou destaque nacional nos últimos anos e deixá-lo de fora de um dos maiores festivais independentes seria uma grande gafe. O problema é que o pessoal que toca nos ‘porões’ de Goiânia praticamente é excluído da programação do evento, que surgiu em 1999 com o objetivo de exaltar quem hoje se vê sem inserção artística, bem como ouvir o apelo do público por nomes que estão agitando artística e esteticamente a nossa cidade.


Tradicionalmente, o festival sempre gerou intercâmbios entre cenas de diversas regiões brasileiras e promoveu ligação com diferentes grupos musicais e estéticos de Goiânia, fator que ajudou a selar o DNA do Bananada. Desta forma, o rolê conseguiu sacramentar há duas décadas seu nome no roteiro das grandes iniciativas que mais fomentam a música independentes no País.


Antes de mais nada, é preciso resgatar essa marca, antes que seja tarde demais... Ah, aos interessados, já ia me esquecendo, os ingressos já estão à venda pelo site sympla.com.br a partir de R$ 120,00.


Serviço:

Festival Bananada 2019

Data: 12 a 18 de agosto

Local: Goiânia, Goiás, Brasil

Ingressos: www.sympla.com.br/bananada2019

Mais informações: @festivalbananada


Primeiras atrações confirmadas

Criolo

Tulipa Ruiz & João Donato

Frente Cumbieiro (Colômbia)

Paus (Portugal)

Drik Barbosa

Jaloo

Felipe Cordeiro

Terno Rei

E a Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante

Tuyo

Magüerbes 25 anos

O Quadro - Brvnks

Raça - Romero Ferro

Jessica Caitano - Saskia

Jadsa Castro - Demonia