• Júlia Lee

Talismãs

Doce Viagem

No chão de giz encontro um estrume de sentimentos de um não lugar. Os gritos estridentes se confundem com o caos da cidade. Até a brisa que vem das árvores me atordoam.


As entranhas consomem a merda visceral em qual existimos. Será que faz sentido? Estar aqui consome o resto de alma que ainda me resta na selva de pedras.

Gostou do texto?

Com a ascensão do fascismo no Brasil, ataques à mídia se tornaram recorrentes. Documentos perdidos, subnotificação de mortos, censura nos dados sobre queimadas e desmatamento, retirada de direitos duramente conquistados: o contexto da realidade está sendo censurado nos monopólios midiáticos. Venha lutar com a gente! É com seu apoio que conseguimos manter o Jornal Metamorfose no ar. 

Apoie a liberdade de imprensa, ela só é possível com você, caro leitor.