• Victor Hidalgo

A Indústria de Jogos deve ser destruída

Opinião


O mercado de jogos é hoje uma capsula de como opera o capitalismo


Bobby Kotick, CEO da Activision Blizzard - divulgação


A forma que o mercado de jogos funciona hoje é insustentável e uma pequena capsula de como o capitalismo funciona. Diferente de outros ramos, jogos, no geral, não conseguem passar por uma total automação de suas bases produtivas por serem produtos que dependem inteiramente de pessoas para serem produzidos. Ou seja, por mais que uma maquina tente, ela não vai conseguir criar um jogo (pelo menos não ainda).


E com isso, podemos observar na indústria relações de trabalho que remetem ao fordismo quando se trata de produção de jogos. E eu prefiro chamar de produção, do que criação. Produzir algo em massa pensando nas tendências da indústria e ignorando a arte e sua aura é isso, uma casca vazia, mas que tem uma camada de tinta bonita.


E falando em relações de trabalho, desenvolvedores passam por longos períodos do famigerado crunch, quando chegam a trabalhar por mais de 12 horas por dia e aos finais de semana para poderem cumprir um prazo de entrega estipulado por um superior que falhou com sua equipe. Existem casos de pessoas que não conseguiram ver seus familiares por meses a fio para poderem entregar suas demandas.



“Mas eles devem receber muito bem para isso” vocês devem estar se perguntando. Alguém está recebendo, e não é quem fez os jogos que você tanto ama. A Activision Blizzard soltou em 2018 soltou o seu relatório fiscal alegando ter tido o ano mais lucrativo da história da empresa. Corta para fevereiro de 2019 e ela demite cerca de 8% de seus funcionários no mundo todo. Mas sabe quem recebeu uma bonificação bem gorda? O CEO da empresa Bobby Kotick’s, arrecadando mais de US $30 milhões de dólares.


E não muito tempo depois, após outra notícia da demissão em massa, dessa vez em março de 2021, que levou mais de 190 funcionários para a rua, Bobby deve receber um gordo pagamento de quase US $200 milhões de dólares. E os funcionários receberam o quê? Cartões-presente no valor de US $200 para gastarem na loja virtual da empresa em questão. Boa sorte pagando seu plano de saúde privado com dinheiro de mentira da Battle.net.


Se esse exemplo não é o mais cristalino dos casos de como o capitalismo opera na sociedade, não sei mais o que poderia mostrar. Acumulo bruto de capital sobre o trabalho daqueles que realmente estão no chão da fábrica trabalhando até a exaustão.


E não podemos falar de Blizzard, ou da indústria, sem falar de misoginia, machismo, racismo e tantas outras coisas asquerosas que estão impregnadas na cultura gamer.


Por isso acredito que a única forma de acabar com esses casos e transformar a indústria é destruindo ela por completo. E por destruir ela, digo destruir o capitalismo que permite que ela funcione da forma que funciona. Isso que eu nem entrei no caso dessas empresas praticamente não pagarem impostos e muitas ainda conseguirem restituição de impostos que nunca pagaram do estado.


Um jogo não vale mais do que a vida daqueles que estão o produzindo. A indústria de jogos não merece existir, ela deve ser destruída. Mas isso não vale apenas para ela, mas sim, todo o sistema capitalista.





Gostou do texto?

Com a ascensão do fascismo no Brasil, ataques à mídia se tornaram recorrentes. Documentos perdidos, subnotificação de mortos, censura nos dados sobre queimadas e desmatamento, retirada de direitos duramente conquistados: o contexto da realidade está sendo censurado nos monopólios midiáticos. Venha lutar com a gente! É com seu apoio que conseguimos manter o Jornal Metamorfose no ar. 

Apoie a liberdade de imprensa, ela só é possível com você, caro leitor.