• Lays Vieira

A potência da arte no enfrentamento ao isolamento social

Sede de arte

Inside, novo especial de comédia, dirigido, escrito e estrelado pelo multiartista Bo Burnham, chega a Netflix e já coleciona elogios



Bo Burnham em Bo Burnham Inside

Foto: Netflix

Chamar a experiência artística imersiva que é Inside de “especial de comédia” talvez seja injusto e reducionista. Essa mistura de documentário e stand-up, com duração de pouco mais de uma hora e meia, relata o dia-a-dia de um artista ao longo de um ano de pandemia e isolamento social, que usou o desenvolvimento da obra para, literalmente, manter sua saúde mental.

Roteirizado, dirigido, editado e estrelado pelo multiartista Bo Burnham, tendo como cenário dois cômodos de sua casa, acompanhamos, ao mesmo tempo, o processo criativo e crescente angustia e depressão do artista, onde uma porta o separa do mundo exterior desolado pela pandemia e inserido na obra com um clima distópico.


A difícil tarefa de lidar consigo mesmo, perpassa toda a obra. Mas, dois fios condutores também estão presentes: o questionamento de como se fazer comédia em um momento como o que vivemos; e os efeitos da internet sobre nossas vidas e nossas relações, tanto pessoais como de trabalho. Bo Burnham também trás importantes críticas políticas de forma muito criativa, com uma comédia que não cai na mesquinhez de piadas preconceituosas, como infelizmente acaba sendo comum em vários shows de stand-up.


Robert Pickering “Bo” Burnham, de 30 anos, é um comediante, músico, cantor, compositor, rapper, ator e poeta norte-americano, que começou como youtuber, em 2006 e rapidamente fez sucesso. Em 2016, decidiu fazer uma pausa na carreia devido a ataques de pânico que sofreu em alguns de seus espetáculos. Em janeiro de 2020 resolveu retornar, mas então vai a pandemia da Covid-19 e a necessidade de medidas restritivas, como o isolamento social.


Inside, é uma mistura de musical, elementos cinematográficos e relatos pessoais, que funciona como um instigante exercício de reflexão nesses tempos conturbados, especialmente sobre a existência no confinamento e a vida na internet em meio a esse cenário. A obra, que estreio no catalogo da Netflix em 30 de maio, já recebeu diversos elogios, como na analise escrita por Jason Zinoman, crítico e escritor, e publicada no The New York Times.

Segundo Zinoman, um dos desenvolvimentos mais encorajadores na comédia nas últimas décadas é a crescente ambição de direção de especiais stand-up e, na vanguarda desse movimento, está Bo Burnham e seus especiais inovadores, com canções satíricas apoiadas por uma iluminação teatral e vozes com efeitos destorcidos.


Inside é ambicioso visivelmente, divertido de forma acida, critico, reflexivo e angustiante. Demonstra o grande talento de Burnham, a superficialidade das relações na internet e os desafios da solidão. Especialmente para aqueles que, até onde (e se) puderam, mantiveram o isolamento social em algum momento desses mais de doze meses de pandemia, irão se identificar com a mensagem dessa potente obra de arte.

Gostou do texto?

Com a ascensão da censura e ataques recorrentes à mídia, entendemos que o jornalismo independente se torna mais importante do que nunca. Não podemos nos calar.
Por isso precisamos de seu apoio, queride leitor. 
Apoie a mídia independente e ajude o JM a continuar publicando. Só podemos fazer nosso trabalho livre de amarras institucionais pois acreditamos que a imprensa deve se manter autônoma, para isso contamos com sua colaboração.  Você pode apoiar mandando uma doação para o PIX do jornal: sigametamorfose@gmail.com