• Marcus Vinícius Beck

A sátira das fake news

Atualizado: Out 17

O Quê Ler?

‘BozzonarUbu – Sátira Distópica Em Cinco Atos e Meio’ ganha edição de guerrilha pela editora provokeATIVA


Pra começo de conversa, assistir aos desmandos do capitão corona, digo, daquele militar expelido do quartel por terrorismo não é uma tarefa muito fácil. Sobreviver no Brasil comandado pela trupe saudosa dos calabouços da tortura tem se mostrado um ato de bravura, quase um teste de sanidade imposta por devotos da bíblia, da farda verde-oliva e da (i) moralidade. O País bolsonarista, como a gente vê nas vozes do noticiário, é uma xerox pós-moderna e mal diagramada da Guerra Fria – guiados pelo estigma do comunismo, sempre ele – dos tempos de ditadura.

Mas, vem cá, por que essa digressão toda? Porque, com uma linguagem pra lá de nonsense e surreal como a do dramaturgo Alfred Jarry em “Ubu Rei” (1896), a peça “BozzonarUbu – Sátira Distópica Em Cinco Atos e Meio”, escrita pela namoradinha do Brasil, Hellgina NoArt, se propõe explicar o absurdo da existência política com uma estética anárquica. Curtiu? Gostou? Achou confuso? Primeiro: entre em contato com o poeta IkaRo MaxX em suas redes sociais e não perca tempo: adquira a edição de guerrilha antes que acabe. E segundo: estamos falando de uma sátira, viva o escárnio.

Feitas essas considerações, sigamos em frente: enquanto bizarrices povoam as páginas dos jornais desde 2018, o riso se faz um instrumento essencial para zombar da cara de figuras decrépitas, tal como aquelas que usurparam o debate público e golpearam com sua retórica delinquente a esfera pública brasileira. A verdade, sejamos honestos, é que sequer o jornalismo tupiniquim está dando conta de reportar, analisar e opinar sobre a distópica realidade. Isso quando os editorialistas da velha mídia burguesa não passam pano pro ogro ocupante do Palácio do Planalto e seu liberalismo assassino.

Por essas e por outras, sem spoiler, não tenho dúvida em dizer que “BozzonarUbu” acerta na mosca ao reconstituir diálogos recheados de atrocidades entre membros do alto escalão do (des) governo, com uma pitada sob medida de um refinado sarcasmo e outros adereços lingüísticos que a turma da caserna não compreende muito bem. Sim, você vai ler ao longo de duzentas e tantas páginas conversas hilariantes – e deprimentes – que envolvem (Cair Merdias) BozzonarUbu e Maria do Romário.  

Qualquer semelhança com a realidade, é culpa da própria realidade. É, caro Ikaro, precisamos lidar com essa cuestão aê, talquêi? “A bem da verdade, atualmente o mundo inteiro não tem se mostrado um espaço de muita liberdade”, diz o poeta no prefácio da obra. A sátira, enquanto recurso lingüístico e retórico, apresenta a ridicularização como método para a condução da narrativa. No caso de “BozzonarUbu” isso é o que escancara a maluquice pela qual o País foi seqüestrado após a mentirosa eleição de 2018. A peça, portanto, é essencial. Leiam-na.

Ficha Técnica

'BozzonarUbu – Sátira Distópica Em Cinco Atos e Meio’

Autor: Hellgina NoArt Editora: provokeATIVA Gênero: Sátira Preço: 35,00 Conta: facebook.com/ikaro.araujo.946 e instagram @ikaromaxx