• Victor Hidalgo

Asleep - terror psicológico brasileiro

Jogos

Jogo independente combina elementos de clássicos do terror com cultura nordestina

Capa do jogo Asleep, com a protagonista Ana Lúcia, em campanha pelo Catarse - Imagem: Blakchole Games



Você já se viu perdido dentro de um sonho? Eu já. Muitas vezes tive sonhos que se desenrolaram em completas tramas dentro da minha mente, muitas delas, aterrorizantes. Isso acontece quando você é um amante de filmes e literatura de terror, sua mente acaba te pregando peças. Numa noite você sonha com o Cthulhu e na outra com o seu gatinho de estimação… que pode ser o Cthulhu.


E não existe melhor mídia para trabalhar com o terror psicológico do que os jogos. O fato é que quem joga não é passivo na experiência e isso acaba despertando às emoções mais primais dentro de quem interage, como o instinto de sobrevivência. Dito isso, um projeto me chamou a atenção essa semana e queria falar um pouco dele aqui nessa matéria. Um jogo independente brasileiro que promete entregar toda a experiência que comentei acima, com um toque da nossa cultura.


Asleep é um projeto independente de desenvolvedores do Piauí do estúdio Blackhole Games, que busca juntar a experiência do terror psicológico de Silent Hill, clássico do Playstation, com a cultura do nordeste. Ambientado nos anos 90, o jogo segue um estilo de pixel art em um ambiente 2D com mecânicas de point-and-click, como os jogos consagrados da antiga LucasArts.


Você controla a protagonista Ana Lúcia (interpretada pela cantora Bruna Soares), que se encontra perdida em pesadelos constantes e cada vez mais reais. O jogador vai se juntar a ela e seu caderno de anotações para resolver quebra-cabeças, e armada apenas com uma lanterna para se proteger, e sua inteligência.


Esse não é o primeiro projeto do estúdio, eles já têm dois jogos pequenos publicados, esse sendo o mais ambicioso até o momento. Segundo a roteirista, produtora e estrategista de marketing do jogo, Juliana Almeida, sua equipe busca elevar ao máximo a experiência nostálgica. Por isso escolheram os anos 90, inspiração em jogos clássicos como Silent Hill e utilizar um visual pixel art. “Queremos recriar essas experiências com um novo plano de fundo (nordeste)” diz Juliana para o Jornal Metamorfose.


Cena do jogo Asleep - Imagem: Blackhole Games


A roteirista ainda diz que é um desafio escrever a história do jogo, por ela ser densa.

“Estamos construindo um "universo" na realidade, que possibilite que a narrativa possa migrar para outras mídias (webcomic, talvez RPG no futuro etc), o que se pode esperar é uma jornada misteriosa em que o jogador deve tirar as próprias conclusões” informa Juliana para o Jornal Metamorfose.


Juntando mistério, terror, nostalgia e sentimentalismo, a proposta do jogo é criar uma atmosfera única.


A pandemia pode ter atrapalhado um pouco os planos do estúdio, Juliana relata acreditar que talvez não tenha sido o melhor momento para lançar a campanha. Mas que também é um momento de tirar os projetos da gaveta. “Situações assim nos trazem mais urgência de viver, realizar e deixar uma mensagem por aqui, através da arte, enquanto ainda temos tempo” Diz a roteirista.


Um dos desafios de produzir jogos no Brasil é a falta de incentivo e poio do governo. No passado, ainda existiam editais que consagravam desenvolvedores, como os da ANCINE. Julia ainda comenta sobre a dificuldade de consolidar um estúdio no país, e por conta disso, muitos investidores buscam jogos pequenos e comerciais, diminuindo grandes produções.



Cena do jogo Asleep - Imagem: Blackhole Games


“Para criar a história de Ana Lúcia estamos tomando várias experiências como inspiração na realidade, (muitas dos desenvolvedores inclusive). Mas a construção da personagem visa uma identificação ampla, para além de nós mesmos. Visto que ela é alguém que passa por problemas psicológicos, por vários dilemas, mas ainda assim é amante da arte, é curiosa, forte e guiada por um desejo gigantesco de ter liberdade, assim como todos nós.” Finaliza Julia, comentando sobre como foi escrever a protagonista do jogo.


O jogo está em campanha de financiamento coletivo no Catarse, se você gostou da proposta e quer apoiar a indústria nacional de jogos, pinga uma contribuição para eles no link:

https://www.catarse.me/asleep_o_jogo


Gostou do texto?

Com a ascensão da censura e ataques recorrentes à mídia, entendemos que o jornalismo independente se torna mais importante do que nunca. Não podemos nos calar.

Por isso precisamos de seu apoio, queride leitor. 

Apoie a mídia independente e ajude o JM a continuar publicando. Só podemos fazer nosso trabalho livre de amarras institucionais pois acreditamos que a imprensa deve se manter autônoma, para isso contamos com sua colaboração.