• Victor Hidalgo

'Brota' Lança recital "Brota no Concerto"

Cultura

Projeto elaborado por Giulia Nakata lança recital no Youtube

Fotografia Eveline Medeiros - Design de arte Victoria Cristina - Divulgação


Lançado pelo Brota, o recital “Brota No Concerto” propõe colocar em prática os ensinamentos propostos por Giulia Nakata (pianista, 23), Izandra Machado (violinista, 25) e Leonardo Vitorino (flautista, 23) em junho durante o Brota Lab - Laboratório de Empreendedorismo Musical e Comunicação, que teve como premissas branding, music business e comunicação. A proposta do recital é trazer reflexões sobre a relação do trio com os espaços em que circulam dentro da Universidade, mostrando suas identidades artísticas, trazendo memórias e resgatando também suas raízes.


Em entrevista ao Jornal Metamorfose, Nakata disse que foram várias etapas para o projeto sair do papel. Desde a escolha do repertório, ensaio, produção do recital e gravação.


“O recital é a atividade complementar à principal do projeto Laboratório de Empreendedorismo e Comunicação para Músicos, aprovada pelo Edital Criação e Formação Diversidade das Culturas, em que demos aulas de Branding & Identidade Artística (ministrada por mim), Music business & Inovação (ministrada pela Izandra Machado) e Mídias Sociais & Processos Criativos (ministrada pelo Leonardo Vitorino). O recital foi pensado como a parte prática do laboratório aplicada a nós mesmos” segundo Giulia Nakata.


Ela continua informando que o recital foi pensado para que fizesse sentido com os conteúdos que passaram no Laboratório e mostrar aos seus “brotinhos” que não ficavam apenas na teoria.


“Apesar de bastante cansativo, afinal, éramos nós três do Brota contatando os profissionais para gravação e fazendo a produção do recital, foi muito gratificante, teve muito aprendizado” Continua a pianista.


A iniciativa tem como um de seus objetivos trazer diversidade e inovação para a cena local de música clássica, trazendo no repertório composições de Akira Nakada, Johann Sebastian Bach, Florence Price, Rachel Grimes, Andrew Lloyd Webber, Cartola, Dona Ivone Lara e Izandra Machado, sendo a última uma estreia. O concerto também conta com poemas de Liodete Souza Alves e Giulia Nakata. Gravado no Auditorium Tasso Corrêa do Instituto de Artes da UFRGS, o vídeo do “Brota No Concerto” foi disponibilizado no dia 25 de setembro (sábado) às 20h no YouTube no canal próprio do grupo Brota. Para mais informações, acompanhe nas redes sociais da iniciativa.


“Desde que estreamos o vídeo, temos recebido retornos super positivos do público, muitas pessoas se emocionaram. O resultado ficou além das expectativas, principalmente considerando que foi a primeira vez que fizemos tantas funções assim, ao mesmo tempo. Nossa equipe de som, vídeo, foto, figurino e direção de cena foram essenciais e fizeram muita diferença” relata Nakata sobre a repercussão do projeto.


Gravar, produzir e ainda por cima estudar e tocar um recital é bem mais trabalhoso do que se pode imaginar. E esse foi o primeiro edital do projeto Brota, e o apoio e compreensão de pessoas trabalhando com ele, foi o que tornou isso possível, segundo Giulia.


“Apesar de o meio do empreendedorismo ter muito discurso meritocrático, a nossa ideia é justamente subverter essa narrativa. É entender a necessidade de cada musicista com sua realidade, fazê-lo refletir sobre suas vontades e traçar planos que o faça atingir seus objetivos” finaliza a artista.


“Brota No Concerto” é uma iniciativa contemplada pelo Edital Criação e Formação Diversidade das Culturas realizado com recursos da Lei Aldir Blanc nº 14.017/20, promovida pela Secretaria da Cultura do Rio Grande do Sul em parceria com a Fundação Marcopolo. Agradecemos às marcas apoiadoras: AIMACULADA (direção de cena & arte), Júlio Agostini Cabelos, Sinestesia Poa (vestuário, Giulia Nakata), Afroberdiana (vestuário, Izandra Machado) e Cantelli & Pires Advocacia.


Sobre o Brota


O Brota é um laboratório de empreendedorismo musical e comunicação criado por jovens musicistas do curso de Música do Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) a partir do programa de Bolsas de Iniciação Empreendedora da Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico (SEDETEC) da mesma instituição. São eles Giulia Nakata (23, pianista), Izandra Machado (25, violinista) e Leonardo Vitorino (23, flautista).


A premissa que guia o Brota é a coerência e alinhamento entre a identidade artística do profissional, seus objetivos financeiros de carreira e a comunicação digital. Para que isso seja possível, os princípios de cada musicista são o centro, sendo a primeira área a ser explorada na atividade, seguida pelo empreendedorismo musical (music business) e mídias sociais.


O grupo acredita em uma relação mais próxima entre músicos, seus públicos, a sociedade e suas produções. Entre as consequências positivas desse estreitamento estão a valorização do trabalho musical, a movimentação da economia criativa e a formação de público.


“O Brota tem três origens diferentes e complementares: incerteza do momento “me formei, o que eu faço agora?”, da vontade de dialogar mais com o público, rompendo o estigma de que a música de concerto é para poucos e da necessidade de trabalhar para se sustentar.


O Leo foi quem teve esse incentivo por parte da Professora Lúcia Carpena, me chamou e o time se consolidou quando a Izandra entrou. Escrevemos nossa ideia inicial do que viria a ser o Brota para concorrer à Bolsa de Iniciação Departamento de Música do Instituto de Artes da UFRGS (IA/UFRGS) e fomos selecionados, entre outros projetos, sendo o primeiro do curso de Música nessa modalidade de bolsa.


Tivemos orientação técnica de empreendedorismo desse programa de bolsas durante 1 ano, em especial com a Ana Beatriz Michels e Alice Neubert, além de orientação do nosso professor mentor Fernando Rauber, docente do Departamento de Música, trazendo diversas perspectivas e nichos de atuação do mercado da música” Diz Giulia Nakata sobre o projeto Brota.


Assista o vídeo do projeto e assine o canal



Gostou do texto?

Com a ascensão da censura e ataques recorrentes à mídia, entendemos que o jornalismo independente se torna mais importante do que nunca. Não podemos nos calar.
Por isso precisamos de seu apoio, queride leitor. 
Apoie a mídia independente e ajude o JM a continuar publicando. Só podemos fazer nosso trabalho livre de amarras institucionais pois acreditamos que a imprensa deve se manter autônoma, para isso contamos com sua colaboração.  Você pode apoiar mandando uma doação para o PIX do jornal: sigametamorfose@gmail.com