• JM

Chacina na Chapada dos Veadeiros

Goiás


No dia 20 de janeiro de 2022, uma chacina acontece na Chapada dos Veadeiros, em Goiás. A Polícia Militar recebeu uma denúncia anônima de que havia uma plantação de maconha na região, chegando no local se depararam com sete pessoas debaixo de um rancho de palha. A PM conta que foi recebida com tiros, então efetuaram 58 disparos, sendo 40 de fuzil e 18 com pistola, matando 04 pessoas as outras 03 conseguiram fugir.


Moradores da Vila de São Jorge, incluindo familiares e amigos não acreditam na versão da Polícia Militar, de que houve uma troca de tiros. Eles afirmam que as vítimas não tinham um comportamento violento, muito menos andavam armados. Além de serem pessoas muito conhecidas e queridas na região.


Salviano Souza Conceição, de 63 anos, é o dono da chácara onde foi encontrada a plantação, porém para muitos da comunidade, ele nunca foi uma pessoa violenta, sempre muito calmo e solícito com o próximo. Já os agricultores Ozanir Batista da Silva, de 46 anos, conhecido como Jacaré, é proprietário da chácara ao lado, e estava cuidando da sua roça de milho com o amigo Chico Kalunga, que também foi morto pela polícia. Para os moradores eles não tinham nada haver com a plantação. Alan Pereira Soares, de 27 anos, era morador de Colinas do Sul e enteado de Salviano.


Para as pessoas da comunidade, mesmo se eles estivessem envolvidos com a plantação, a polícia não poderia ter matado as vítimas. Pois eles não tiveram sequer o direito de serem julgados.


Captação de imagem, áudio e edição: Lucas Wagner Nunes


APOIE O JM!


Com a ascensão do fascismo no Brasil, ataques à mídia se tornaram recorrentes. Documentos perdidos, subnotificação de mortos, censura nos dados sobre queimadas e desmatamento, retirada de direitos duramente conquistados: o contexto da realidade está sendo censurado nos monopólios midiáticos. Venha lutar com a gente! É com seu apoio que conseguimos manter o Jornal Metamorfose no ar.

Gostou do texto?

Com a ascensão do fascismo no Brasil, ataques à mídia se tornaram recorrentes. Documentos perdidos, subnotificação de mortos, censura nos dados sobre queimadas e desmatamento, retirada de direitos duramente conquistados: o contexto da realidade está sendo censurado nos monopólios midiáticos. Venha lutar com a gente! É com seu apoio que conseguimos manter o Jornal Metamorfose no ar. 

Apoie a liberdade de imprensa, ela só é possível com você, caro leitor.