• Júlia Aguiar

E os 30 centavos?

Manifestação

Segundo ato contra o aumento das passagens de trem, barcas, metrô e ônibus surte efeito e aumento passa a ser de 30 centavos

Manifestação contou com participação de várias frentes de luta. Foto: J.Lee



Na última quinta-feira (18), mais de 50 pessoas se reuniram no segundo ato contra o aumento das passagens de trem, barcas, metrô e ônibus, no centro da cidade do Rio de Janeiro.


Manifestação começou às 16 horas em frente a AGETRANSP com a Frente Internacionalista dos Sem-Teto (FIST-RJ), o grupo NOZ na luta, PCO e ocupações urbanas, que após a concentração marcharam pela avenida Presidente Vargas em direção à Central do Brasil (CB).


A marcha encontrou outros manifestantes que se concentravam em frente à Central, um carro de som rodava pela região explicando para a população sobre o aumento. Por volta das 17:30, grupos anarquistas, comunistas e “socialdemocratas” faziam panfletagem na porta da CB.


A manifestação aconteceu de forma pacífica e com pouca interferência da Polícia Militar. O ato acabou por volta das 19 horas.


Manifestação aconteceu de forma pacífica. Fotos: J.Lee


Aumento


O aumento da passagem passa a ser vigente nessa terça-feira (23), após novo acordo entre o estado e a SuperVia a passagem de trens no Rio de Janeiro passará de R$ 4,70 para R$5.


Porém, a autorização da Agência Reguladora (Agetransp) continua para a linha seletiva de Charitas, que será reajustada de R$ 18,20 para R$ 19,00; as linhas da Divisão Sul (Mangaratiba - Ilha Grande - Angra dos Reis) de R$ 17,30 será 18,40; as demais linhas passam de R$ 6,50 para R$ 6,90.


Segundo relatos dos usuários o transporte piorou consideravelmente durante a pandemia, com cortes de linhas e maiores intervalos entre as barcas. A linha mais movimentada, a Praça XV – Arariboia (em Niterói) passou a fechar mais cedo às 21 horas ao invés das 23h. Já Praça XV – Paquetá, que é o único transporte público para os moradores tendo em vista que a ilha fica isolada no meio da Baía de Guanabara, segue funcionando com intervalos de 1 hora e meia.


A estação de Cocotá, na Ilha do Governador segue operando em somente três dias por semana e os itinerários de acesso a Ilha Grande, localizada no município de Angra dos Reis, também teve horários reduzidos e está limitado a moradores da Ilha.


Foi no penúltimo dia de 2020 que o conselho diretor da Agetransp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários e Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio de Janeiro) decidiu que o aumento fica em vigor até fevereiro de 2022, justificando a tarifa com dados sociais do IBGE.


Já os usuários de trens relatam que as linhas de Guapimirim, Vila Inhomirim e Magé ficaram suspensas em setembro e atualmente seguem operando com menos vagões e em tempos maiores de intervalo. Já os moradores da Zona Oeste do Rio passaram a sofrer desde junho com o cancelamento do trem expresso. As linhas de Deodoro e Santa Cruz foram unificadas, porém a Supervia prometeu que a junção seria recompensada com mais vagões, porém os relatos são de superlotação e muita espera.


Manifestantes pediam #ForaBolsonaroForaMourão e também reivindicavam a volta do auxílio emergencial. Foto: J.Lee

Gostou do texto?

Com a ascensão da censura e ataques recorrentes à mídia, entendemos que o jornalismo independente se torna mais importante do que nunca. Não podemos nos calar.
Por isso precisamos de seu apoio, queride leitor. 
Apoie a mídia independente e ajude o JM a continuar publicando. Só podemos fazer nosso trabalho livre de amarras institucionais pois acreditamos que a imprensa deve se manter autônoma, para isso contamos com sua colaboração.  Você pode apoiar mandando uma doação para o PIX do jornal: sigametamorfose@gmail.com