• Metamorfose

Jack apaixonado

Livros


O romance autobiográfico ‘Maggie Cassady’ retrata o primeiro amor do idealizador da Geração Beat quando ele ainda vivia no interior dos EUA


As histórias de Jack Kerouac eram baseadas em suas experiências - Foto: Reprodução/ Acervo Pessoal do escritor


Jack Kerouac, Allen Ginsberg e William Burroughs mudaram a estética literária na década de 1950, certo? Era o período do American Way of Life, do Macarthismo, da Guerra do Vietnã. Até aí, tudo ok, é isso mesmo. Mas, veja só que maluquice: foi nesta época que um bando de escritores bêbados, com espírito libertário e descontentes com a sociedade norte-americana resolveram chutar o balde e, olhem só, passaram a viver intensamente suas experiências sexuais, etílicas, canábicas, existenciais, artísticas e outras mais que se possa imaginar.


Com uma matéria-prima deliciosamente transgressora dessas, claro que uma porrada de livros viscerais foram produzidos, como Almoço Nu, de William Burroughs, Uivo e Outros Poemas, de Allen Ginsberg, e On The Road, de Jack Kerouac. E tantos outros estavam por vir: Vagabundos Iluminados, escrito por Kerouac, Junky, obra de autoria do cara mais maluco do movimento beat, o pirado do Burroughs, e A Queda da América, de Ginsberg, o poeta doidão. Daí em diante os três se tornaram a santa trindade da literatura beatnik.


Da esquerda à direita: Allen Ginsberg e Kerouac, William Burroughs e Lawrence Ferlinghetti - Fotos: Reprodução/ Acervo Pessoal dos escritores



Porra! Mas com toda essa doideira como é possível um cara ter escrito um livro de amor? Ora, são diversos os fatores que proporcionaram tal incursão criativa - como emancipação da consciência, o amor livre, o sexo sem prendimento, o tesão em estado bruto, a utopia em nível descaralhante e a embriaguez como necessidade existencial -, e o resultado disso chegará às livrarias físicas e virtuais no próximo dia 1° de fevereiro. O romance Maggie Cassady, lançado originalmente em 1956, mostra a primeira paixão de Kerouac.


“Havia por trás daqueles longos beijaços fúteis algum gigantesco ímpeto sexual, às vezes nossos dentes rangiam, nossas bocas queimavam pelo intercâmbio de saliva, nossos lábios empolgavam, sangravam, rachavam - Nós estávamos assustados”, diz o escritor, em trecho da obra. De fato, o texto em si é um tocante relato autobiográfico que escancara apaixonadamente o primeiro amor da vida de um adolescente tímido que vivia numa cidadezinha da Nova Inglaterra na década de 1930, durante a Grande Depressão.


Mas para melhor compreensão disso tudo, vamos pôr alguns pingos nos ‘is’: o romance conta a história do jovem Jack Duluoz, e é importante o leitor entender que ele é o Jack Kerouac, na época em que o pai da Beat Generation vivia na cidade de Lowell. Sim, a história toda é a busca surpreendente, desastrada, apaixonada e apaixonante (sobretudo pelo estilão exageradamente elegante e poético de Kerouac) de um jovem atrás do primeiro amor. E tudo isso conta com um dilema, digamos assim, um pouco dúbio: quem são Pauline ou Maggie?


O terma 'Beat Generation' foi criado por Jack Kerouac - Foto: Reprodução/ Acervo Pessoal do Escritor


Numa resposta à primeira vista toscamente simplista, são as duas garotas pelas quais Kerouac perdidamente se apaixona. Explico melhor: Pauline lhe envia cartas apaixonadas, enquanto Maggie o vê jogar futebol - Kerouac, inclusive, foi um notório jogador de Futebol Americano, e foi por causa dessa sua habilidade que conseguiu uma bolsa de estudos na Columbia University. Bem, uma das passagens mais charmosas do livro é quando o protagonista descobre a força poética dos versos de Robinson Jeffers e Emily Dickinson.


Óbvio que Kerouac não é exatamente um escritor convencional, e isso seus escritos deixaram bem esclarecidos. Você pode lê-lo à sua maneira ou de qualquer outra. Não importa. Porque nas duas hipóteses ele vai lhe dar uma visão poética e empolgante do lugar comum, e essa é a principal característica de Maggie Cassidy. Nascido em 12 de março de 1922, a adolescência de Jack Kerouac não tem nada a ver com a figura amargurada que era pró-Guerra do Vietnã, contrário aos hippies e reaça total, em 1969, quando morreu.


Ficha Técnica

Maggie Cassidy

Autor: Jack Kerouac

Gênero: Romance Autobiográfico

Editora: L&PM

Preço: R$ 39,90