• JM

Juntos pela liberdade de imprensa

#DiaDeDoar

Ação reúne 26 organizações com objetivo de arrecadar doações para fortalecimento do jornalismo digital de qualidade


Produzir e distribuir jornalismo de qualidade em redes digitais depende de financiamento. E para encurtar a distância entre quem pode contribuir financeiramente e quem precisa desses recursos para fazer jornalismo no Brasil, 26 organizações de todas as regiões do País estão unidas, pelo segundo ano, em campanha no Dia de Doar, comemorado em 30 de novembro . A data é mundial e tem como objetivo estimular a generosidade e inspirar pessoas a doar para aquilo o que elas acreditam.


A parceria das organizações, articulada pela Associação de Jornalismo Digital (Ajor), será desenvolvida entre de 26 de novembro e 4 de dezembro e conta com a participação da Agência Envolverde, Agência Mural, Agência Pública, Alma Preta, Amazônia Real, Aos Fatos, AzMina, data_labe, Eco Nordeste, Énois Laboratório de Jornalismo, Fauna News, Gênero e Número, O Joio e O Trigo, Jornal Metamorfose, Manual do Usuário, Marco Zero Conteúdo, Matinal Jornalismo, Nonada Jornalismo, Nós, mulheres da periferia, ((o))eco, Periferia em Movimento, Portal Catarinas, Ponte Jornalismo, Quatro Cinco Um, Saiba Mais e Sul21.


As ações para estimular doações serão feitas nos perfis de redes sociais das organizações de Jornalismo, sempre usando a hashtag #diadedoar. A ideia é motivar os consumidores do conteúdo a, também, contribuir financeiramente para que o trabalho dessas organizações continue e seja ampliado.


Em comum, essas instituições têm o foco na fiscalização do poder público, pluralidade editorial e trabalham para defender a democracia - que está sendo tão ameaçada por uma enxurrada de desinformação. O apoio financeiro a esse trabalho é um posicionamento em defesa do Jornalismo, um dos pilares da democracia.


Clique e apoie: https://linktr.ee/DiadeDoar_



Com a ascensão do fascismo no Brasil e no mundo, os ataques à imprensa pioraram e muito! Documentos perdidos, subnotificação de mortos, censura nos dados sobre queimadas e desmatamento, retirada de direitos duramente conquistados: o contexto da realidade está sendo censurado nos monopólios midiáticos. É um revival da corja que empurrou o Brasil para o precipício de 1964 a 1985, Bolsonaro é autoritário, e os militares já estão no poder. Precisamos nos preparar para o que virá. Apesar disto, nós do JM lutamos com todas as nossas forças para romper este contexto onde a realidade é censurada, direitos são violados. Esta luta precisa do apoio da sociedade que está cansada de fake news e de fatos descontextualizados. O seu apoio, caro leitor, é fundamental para que sigamos nessa luta diária e às vezes inglória para manter o Jornal Metamorfose no ar. Essa luta é todes! É do JM. É também sua, caro leitor!

Contribua com nossa campanha de financiamento coletivo, a partir de 5 reais mensais você consegue fazer a diferença e ajuda o Jornal Metamorfose a continuar no ar.


Apoie

Gostou do texto?

Com a ascensão do fascismo no Brasil, ataques à mídia se tornaram recorrentes. Documentos perdidos, subnotificação de mortos, censura nos dados sobre queimadas e desmatamento, retirada de direitos duramente conquistados: o contexto da realidade está sendo censurado nos monopólios midiáticos. Venha lutar com a gente! É com seu apoio que conseguimos manter o Jornal Metamorfose no ar. 

Apoie a liberdade de imprensa, ela só é possível com você, caro leitor.