• Victor Hidalgo

O Gabinete do Ócio

Internet

Grupo se organizou para combater fake news e impulsionar criadores de conteúdo de esquerda 

Arte: Cris Vector/Reprodução.


Na matéria publicada no último dia 3, constatamos que o campo de batalha político disputado na internet é majoritariamente dominado pela extrema-direita. A passividade e falta de iniciativa das esquerdas dominantes em investir e apoiar criadores de conteúdo para criar uma rede de apoio progressista não está ajudando a mudar o quadro.


Porém, existem iniciativas que buscam confrontar e desarticular essas bases de apoio, como está fazendo o grupo ativista Sleeping Giants Brasil. Eles denunciam para as empresas que seus anúncios estão sendo direcionados para páginas de notícias falsas ou canais de negacionistas, levando ao critério das empresas se elas decidem ou não continuar com suas campanhas. Você pode ler uma entrevista exclusiva do grupo para o JM neste link.


O grupo ativista é anônimo, e usou como inspiração perfis que já estavam há alguns anos batendo de frente com o presidente Jair Messias Bolsonaro (sem partido). Uma organização foi criada como forma de combater os robôs e às notícias falsas que se espalharem pelas redes: O Gabinete do Ócio.


Tesoureiros de Jair, um perfil que denuncia e satiriza os crimes do governo Bolsonaro. Bolsominions Arrependidos, conta relatos de ex-bolsonaristas e ilustrações de Cris Vector, com obras críticas ao governo. Todos os perfis são grande a médio porte no Twitter, e se uniram após ouvir a fala de Orlando Calheiros, antropólogo e podcaster, no podcast Lado B do Rio, no episódio 165 sobre militância nas redes, que pontua a falta de organização das esquerdas no campo político da internet.


“A gente tinha que tentar furar a bolha de qualquer jeito. Esquerda falando pra esquerda bater palma não dá mais. Todo mundo sabe, mas a gente não via nenhuma ação tomando forma”, conta o perfil Bolsominions Arrependidos para o Jornal Metamorfose.


Uma das grandes preocupações do grupo “O Gabinete do Ócio” é justamente encontrar uma forma de furar a bolha, pois estavam cansados de ver a esquerda conversando consigo mesma. O grupo criou essa proposta para penetrar um dos campos mais dominados pelo bolsonarismo: o WhatsApp.


“As narrativas são construídas muito rápidas e se espalham lá no Whatsapp. Esse tipo de espaço precisa ser ocupado. Nesse meio tempo, saiu o episódio do Lado B do Rio com Orlando Calheiros, que fala muito de militância nas redes e a partir daí deu um fôlego pra gente se mobilizar um pouco mais” comenta o perfil Tesoureiros de Jair em entrevista ao JM.


Organização

Arte de Cris Vector para recrutar membros para o grupo/Reprodução.


Atualmente, o Gabinete do Ócio se organiza em um grupo no aplicativo de mensagens Telegram com mais de cinco mil participantes. Os membros trabalham diariamente para criar conteúdo que desminta informações falsas, espalhando em grupos da internet (não vamos divulgas os grupos que eles participam a pedido deles, para não expor o seu trabalho e não divulgar grupos de extrema-direita). Os administradores do Gabinete são anônimos para garantir que - caso tenha algum bolsonarista infiltrado - não vão organizar ataques coordenados contra aquele perfil.


Os responsáveis pelo Gabinete criam um conteúdo verificado, de acordo com a notícia falsa que estiver sendo disseminada no momento, e disponibilizam no grupo de Telegram para os demais membros. Esse conteúdo é copiado e compartilhado nas redes, contra-atacando a informação falsa, usando estética visual similar a utilizada pelos bolsonaristas.


“A gente tem um grupo legal de pessoas nos ajudando a fazer conteúdo sem informação falsa, desmentido fake news, conteúdo para Whatsapp, Instagram. São todos seguidores e voluntários, um pessoal que se viu imbuído pelo sentimento de querer fazer alguma coisa. Muitos deles já disseram que fazem isso para deixar pelo menos um caminho pros filhos e gerações que vem aí”, conta o perfil Bolsominions Arrependidos em entrevista.


Segundo o perfil, é muito fácil para a rede bolsonarista crescer: basta aparecer um possível candidato para criar conteúdo que ele já é abraçado pela causa. Recebe 3 mil inscritos do dia para a noite e já começa a produzir vídeos e espalhar o conteúdo dos outros seguidores na rede. Diferente da esquerda que não consegue apoio de influenciadores progressistas, enquanto a direita faz exatamente o oposto.


“A gente tá tentando divulgar canais, podcasts, artigos, iniciativas, coletivos, mas ainda assim precisa de mais engajamento de gente grande. O filho do presidente retuita canais e perfis de gente que a esquerda jamais ouviu falar. Mas tá lá com pelo menos 100 mil views cada vídeo, e crescendo”, relata Bolsominions.


Segundo eles, o Gabinete do Ódio só serve para administrar essas páginas para que escoem o conteúdo para o resto da internet. O trabalho da iniciativa é contrapor o controle de narrativa que consolida e estabelece fatos, sejam eles reais ou não.


“Na verdade a maioria das pessoas que recebe memes e fake news não procura por isso. Óbvio que quem está nos grupos está procurando esse conteúdo, mas a grande maioria são grupos de família, igreja, trabalho, escola. São pessoas que ficaram órfãs de conteúdo da esquerda e agora são bombardeadas por isso. Já tem dois anos praticamente que eu e tesoureiros estamos presenciando isso e não há previsão de mudar ou diminuir”, afirma Bolsominions Arrependidos em entrevista para o Jornal Metamorfose.


A rede bolsonarista se utiliza de uma estética que estimula o leitor a não buscar saber se é uma notícia falsa, uma imagem, símbolos nacionais, alertas em letras grandes e títulos que não condizem com seu conteúdo e narrativa. Uma forma de combater isso, segundo eles, é se apropriar dessa estética e disseminar esse conteúdo não só em grupos de esquerda, mas grupos de futebol, igreja e família - só que com um conteúdo verificado e com notícias verdadeiras.


Segundo Bolsominions: “O jornalismo está deixando se pautar pelo governo. E daí acaba reforçando só a narrativa deles, o jornalismo não está pautando o que deveria pra fazer o governo se mexer, e daí acaba reforçando só a narrativa deles”.

Segundo Tesoureiros de Jair, o ecossistema da extrema-direita é muito diversificado. Tem um segmento que cuida dos grupos de Whatsapp; um que faz canal no Telegram; tradutores de blogs e vídeos de conspiracionistas americanos; repostas a comentários e sites que produzem e propagam notícias falsas. Tudo com o aval do presidente e seus filhos, que divulgam esses canais e fortalecem essas redes. Recentemente, em uma transmissão, Jair Bolsonaro até tinha uma faixa do desenho animado “Naruto” na sua mesa, tentando dialogar com esse segmento de um público mais jovem, como um apito de cachorro.


Tesoureiros ainda diz sobre os canais no Youtube que transmitem partidas de jogos online: “Tem o canal do gamer jogando Call of Duty e metendo o pau nas feministas, e emplacando umas narrativas bolsonaristas. Esse discurso vem de todo canto. Já parte da esquerda pra falar de política tem que fazer mesa redonda cheia de acadêmico”.


Um dos poucos canais de esquerda que usam da mesma ferramenta do Youtube e de jogos para conversar e discutir política é o The Rinha, do próprio Orlando Calheiros e o podcaster Carapanã. São estratégias para furar a bolha e levar política para quem não a procura. Um dos pilares que está ajudando na divulgação e criação de conteúdo para o Gabinete do Ócio é o artista Cris Vector, que entrou no projeto a convite do s perfis Tesoureiros e Bolsominions.


“Acho que compartilho com eles a mesma preocupação de ver como o “outro lado” tá organizado e a gente aqui do espectro esquerdista apenas reage ao que é postado. Então tento somar com algum tipo de habilidade visual para criação de conteúdo e abastecer a esquerda. Envolve desde tornar a informação mais acessível até deboches. A gente acredita que o humor e o deboche são ferramentas ótimas para viralização de conteúdos”, relata Cris em entrevista ao Jornal Metamorfose.

Arte de Cris Vector/Reprodução.


O Gabinete do Ócio ainda é um projeto novo, mas que tem muito potencial de agitação. Tornou-se mais uma frente de resistência ao bolsonarismo e aos ataques em massa de notícias falsas que ocorrem desde que Bolsonaro se elegeu. Agora, em tempos de eleição, se tornou mais um aliado para desmentir campanhas de difamação contra candidatos opositores aos aliados do presidente.


Para saber mais do trabalho deles e caso queira participar, acesse o perfil do Twitter @GabineteOcio. E para acompanhar o trabalho dos demais integrantes basta entrar em seus perfis nas redes @tesoureiros, @bolsoregrets e @crisvector.


Gostou do texto?

Com a ascensão da censura e ataques recorrentes à mídia, entendemos que o jornalismo independente se torna mais importante do que nunca. Não podemos nos calar.

Por isso precisamos de seu apoio, queride leitor. 

Apoie a mídia independente e ajude o JM a continuar publicando. Só podemos fazer nosso trabalho livre de amarras institucionais pois acreditamos que a imprensa deve se manter autônoma, para isso contamos com sua colaboração.