O pai do romance moderno americano

August 8, 2019

Literatura

Truman Capote é considerado no meio jornalístico e literário como um dos criados do Novo Jornalismo

 

Foto: Reprodução

 

“A meu ver, ele produziu o único romance contemporâneo americano que me parece moderno, como entendo a palavra, “In Cold Blood”, que, miraculosamente para o leitor brasileiro, foi traduzido à perfeição por Ivan Lessa, com o título A Sangue Frio, disse o jornalista Paulo Francis (1930-1997) sobre o escritor Truman Capote. “Capote chegou A Sangue Frio e se perdeu. É um consolo talvez que poucos escritores cheguem a tanto e tenham perdido tanto”.

 

Nascido em 30 de setembro de 1924, em New Orleans, nos Estados Unidos, Truman Capote começou a trabalhar como office-boy na redação da revista “The New Yorker” no início da década de 1940. O emprego, no entanto, não chegara a durar muito: Truman foi mandado embora por ofender o poeta Robert Frost (1874-1963). Publicou suas primeiras histórias na revista “Harper´s Bazaar” e chegou notoriedade no meio literário quanto tinha pouco mais de 20 anos de idade.

 

O sucesso veio mesmo quando Truman escreveu o romance-reportagem A Sangue Frio, em 1966. Em novembro de 1959, dois homens invadiram a fazenda River Valley, em Kansas (EUA), onde viviam Bonnie e Herb Clutter em busca de uma fortuna escondida num cofre. Os filhos do casal foram brutalmente assassinados por Perry Smith e Dick Hickock e, logo que leu a notícia sobre o crime no jornal, o escritor foi ao local e passou seis anos pesquisando e entrevistando os assassinos.

 

“Capote harmoniza sabiamente todos os ingredientes que fazem uma boa novela realista: a caracterização minuciosa, poliédrica, dos personagens principais; a complexa arquitetura composta no relato, na qual estão incorporadas as cenas, com a utilização dos resumos narrativos, dos diálogos, das tipografias, cartas, declarações, retratos, as elipses e digressões informativas”, teoriza o pesquisador em “Periodismo y Literatura”, obra publicada em 1993.

 

Truman escreveu ainda contos, romances, novelas e peças teatrais que tiveram destaque, como A Tree of Night and Other Stories, de 1949, The Grass Harp, lançado em 1951, The Muses are Heard, de 1956. Ele deixou o romance deixado inacabado Answered Prayers (Súplicas Atendidas, em tradução livre). Redigido em prosa, o texto provocou polêmica por revelar segredos da alta sociedade, que Truman frequentava desde a década de 1950, onde esbanjava sua personalidade excêntrica.

 

A obra fez com que o escritor perdesse a amizade de pessoas influentes e poderosas, e a  alta sociedade – que sempre teve espaço carinhoso na vida e obra de Truman -  lhe virou as costas. O jornalista literário nunca se recuperou do baque, mas suas obras até hoje permanecem vivas na história da literatura norte-americana. Além disso, garantiu a permanência do seu nome no rol dos grandes escritores do século passado.  

 

Grande sucesso

 

O grande evento literário dos Estados Unidos no ano de 1966 foi o romance-reportagem A Sangue Frio, de Truman Capote, que entrou para o grupos dos livros mais vendidos no gênero não-ficção. Décadas depois, após ser debatido com afinco por intelectuais, o relato sobre o crime cometido em Kansas é amplamente estudado nas universidades de jornalismo ao redor do mundo como uma aula de reportagem, e isso é um dos maiores legados de uma obra tão magistral.

 

Homossexual assumido, Truman era conhecido como um expoente da chamada “alta sociedade” ou “jet-set” e tinha uma obsessão por socialites magras e elegantes. Fã de celebridades desde a infância, o escritor fez tudo para ter contato com milionários influentes. Ele não se incomodava em ser visto como uma espécie de bobo da corte, que divertia e lisonjeava os ricos e famosos, derretendo-se aos pés deles.

 

Todos, contudo, tinham plena compreensão de que seu talento era inegável e o sucesso de suas obras não eram frutos apenas dos contatos que tinha. Truman começou a ganhar destaque no meio artístico a partir de 1958 com a publicação do romance Bonequinha de Luxo, em 1958. Nos anos de 1970, cometeu um erro capital ao retratar seus amigos ricos num romance.

 

O texto não se dava ao trabalho de disfarçar ou mudar minimamente a caracterização dos personagens que ambientam a narrativa. Como era se esperar, sentiram-se traídos, amordaçados e ficaram chateados com a escrita realista do jornalista literário, e nem pensam duas vezes antes de abandoná-lo e deixá-lo completamente desamparado. A reclusão agravou os problemas que enfrentava em relação ao álcool e drogas, transformando sua última década numa decadência artística e física.

 

Truman morreu no dia 25 de agosto de 1984 em decorrência de um câncer no fígado. Sua reputação literária, no entanto, segue sólida e é uma referência para quem gosta de literatura. É praticamente impossível falar do romance norte-americano feito nas décadas de 1950 sem passar pelas obras de Truman.

 

O essencial para ler Truman Capote

 

Bonequinha de Luxo (1958)

 Foto: Reprodução

 

Em meio à Segunda Guerra Mundial, um jovem escritor vai morar em Nova Iorque. Lá, ele paga um aluguel barato num prédio decadente onde, alguns andares abaixo, uma moça loira e míope ganha a vida com muita graça e pouca virtude. Obra foi lançada no Brasil pela editora Companhia das Letras.

 

 

A Sangue Frio (1966)

 Foto: Reprodução

 

Expoente do chamado Novo Jornalismo, o romance-reportagem narra a história de quatro membros da família Clutter que foram brutalmente assassinados. Os criminosos eram dois ex-presidiários que tinham a pretensão de roubar 10 mil dólares no cofre da família. Texto impressiona pela reconstrução das cenas, diálogos e caracterização realista.

 

 

Capa do longa-metragem ‘Capote’, que retrata o processo criativo do livro-reportagem ‘A Sangue Frio’ 

 Foto: Reprodução

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

November 11, 2019

November 11, 2019

Please reload

Posts Recentes
  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle

Apoie o jornalismo independente e contribua para que o Jornal Metamorfose continue a publicar.

Fale com a gente: sigametamorfose@gmail.com