• Victor Hidalgo

Oddventure - Undertale encontra Alice no País das Maravilhas

Atualizado: há 7 dias

Cultura


RPG polonês financiado pelo Kickstarter é uma mistura de clássicos com um toque moderno


Capa da demo de Oddventure - divulgação.


A primeira vez que joguei um RPG japonês na minha vida foi com o meu PSONE, com o clássico Chrono Trigger, um dos melhores jogos já criados, com uma equipe fantasística de veteranos da indústria como, como Nobuo Uematso na trilha sonora, Hironobu Sakaguchi e Akira Toriyama como designers e Yoshimori Kitase na direção. Uma das maiores referências do gênero ao lado de Final Fantasy.


Mas existe um outro jogo que foi marcante na época que virou uma grande inspiração para centenas de jogos que vieram depois: Earthbound (Mother 2: Giygas, no Japão) Um J-RPG clássico que trabalha um cenário diferente, uma cidade. Não existiam muitos jogos como ele na época, que se passassem nos tempos modernos e que debatessem temas profundos com muito bom humor, até com pequenos toques de terror (quem zerou Earthbound sabe do que estou falando).


E foi dele que surgiu a inspiração de Undertale, um RPG clássico criado por Toby Fox qual você tem uma história profunda, divertida e mecanincas de não-combate, ou seja, você pode fazer uma partida do jogo como um personagem pacifista e como isso vai influenciar na história do jogo.


Dito isso, entramos em um novo projeto que promete ser algo único, com muitas referências a esses dois jogos, mas ainda assim com muito coração envolvido: Oddventure. Os visuais em pixel art são mais próximos ao estilo de Earthbound, assim como os cenários. Mas quando entramos na batalha, ele já mostra que bebe muito de Undertale. Já entraremos em maiores detalhes sobre essa parte.





A página do Kickstarter do jogo resume bem o clima que ele quer trabalhar com a seguinte frase “Imagine se Nietzsche tivesse um filho com Alice no País das Maravilhas e o filho deles foi criado nos Contos de Fadas e em Earthbound. Isso é Oddventure."


Você joga com Charlie, a Moodmancer. Uma garota niilista e rebelde com problemas temperamentais que usa roupas largas com um dom de mudar a realidade ao seu redor, seja para o melhor ou pior. Você começa o jogo frequentando a escola, tudo parece bem. Chegando em casa, sua família te recebe feliz e se pode ouvir o som de risadas como se fosse uma sitcom como Friends ou Um Maluco no Pedaço.


O tempo passa e é chegada a hora do irmão de Charlie nascer. Infelizmente sua mãe não sobreviver ao processo, e assim começa Oddventure de verdade.


Corta para dois personagens tomando chá vestidos de animais, o Senhor Coelho e o Senhor Dodo, é aqui que a relação com Alice no País das Maravilhas começa a se mostrar clara.


Não vou entrar em muito detalhes no que acontece por conta de acreditar que vale a pena experienciar por conta própria, ainda mais pelo jogo ter uma demo aberta.


O sistema de batalha é uma mistura de Undertale com RPGs clássicos, então não é necessário se preocupar com reflexos na hora, você pode pensar bem suas ações. Você precisa escolher entre agradar ou humilhar os seus adversários, isso vai influenciar como a história do jogo vai se desenrolar. Escolhi seguir o caminho do pacifista, então não humilhei ninguém no meu jogo, só tentei conversar e deixar elas irem.


E o fator fundamental do gameplay são as emoções do seu personagem. Quanto mais ansiosos e menos felizes, mais difícil vai ser de sair vitorioso de algum encontro com um anão pelado.



O jogo já mostra que busca trabalhar com temas sobre depressão, abandono e afetividades no geral. Como se esse mundo onde Charlie se encontra fosse uma realidade paralela onde essas pessoas quebradas acabam se encontrando, mas é claro, tudo com muito bom humor e visuais lindos.


Oddventure já tinha me ganhado no visual, música, batalha e história. Mas quando eu encontrei uma casa de anões marombas que estavam procurando o seu irmão frangote, foi quando eu não me aguentei e já deixei ele salvo na minha lista de desejos, é puro ouro do entretenimento.


Desenvolvido pela pequena equipe polonesa do Infamous Rabbits e distribuída pela Pineple Works, o jogo já atingiu a meta da sua campanha de financiamento coletivo e já está financiado, com previsão de lançamento para 2022 para PC e Switch.


Gostou do texto?

Com a ascensão da censura e ataques recorrentes à mídia, entendemos que o jornalismo independente se torna mais importante do que nunca. Não podemos nos calar.
Por isso precisamos de seu apoio, queride leitor. 
Apoie a mídia independente e ajude o JM a continuar publicando. Só podemos fazer nosso trabalho livre de amarras institucionais pois acreditamos que a imprensa deve se manter autônoma, para isso contamos com sua colaboração.  Você pode apoiar mandando uma doação para o PIX do jornal: sigametamorfose@gmail.com