• Metamorfose

Um achado do rock

Atualizado: Jul 9

Música


Cantor, compositor e guitarrista Neil Young desenterra disco ‘Homegrown’, álbum que deveria ter sido lançado em 1975


Guitarrista Neil Young em show durante a década de 1970 - Foto: Autor Desconhecido



Marcus Vinícius Beck


Neil Young consolidou-se como um gênio do rock. Ao longo de sua carreira, emplacou nas paradas de sucessos canções que ainda hoje alimentam a trilha sonora de gerações diferentes de roqueiros. Sua guitarra embelezada pela harmonia do country e blues tornou-se referência para instrumentistas. Foi, pra termos uma noção, o cara que subiu ao palco de Woodstock com o grupo Crosby, Stills, Nash & Young num show memorável que segue sendo cultuado como um marco da música contemporânea. Mas, é com os discos “On The Beach” e “Zuma”, na década de 1970, que ele vira um ícone, ícone, não: que ele se eterniza.


Passados quatro décadas e mais alguns anos, com a humanidade enclausurada, Neil Young lança o disco “Homegrown”, trabalho que deveria ter sido seu sétimo álbum solo de estúdio, em 1975, e que acabou sendo engavetado por questões pessoais. Tem uma lenda, ah o que seria do rock sem elas, não é mesmo?, que diz que o cantor havia promovido uma festa lá pelos idos de 1970 e poucos. Young, o festeiro, queria que os mais chegados ouvissem o novo disco. Após uma sessão de audição, enquanto brejas se abriam e baseados queimavam, alguém botou as fitas dos shows que ele e sua banda fizeram antes.


O repertório daquelas apresentações tinha apenas músicas inéditas, e de repente a reunião passou a ser um piquenique sonoro. Bom, como a História do rock é permeada por essas lendas, os amigos disseram ao músico canadense que os shows de 1973 eram melhores que o novo disco gravado em dezembro de 1974 e janeiro de 1975. Young, então, foi convencido pelas vozes da maioria e mandou pra gaveta “Homegrown”, lançando em 75 o disco “Tonight´s The Ninght”. No ano passado, todavia, o mítico roqueiro revelou que guardou a obra por considerá-la pessoal demais, já que ele terminara um relacionamento.


Eis que “Homegrow”, finalmente, saiu do ostracismo. Quem é ligado no trampo do cara sabe que pelo menos quatro canções foram lançadas em outros discos. Mas, já na abertura do trabalho, a faixa “Separate Ways” justifica por si só que as gavetas do rock tenham sido abertas. A canção traz consigo o clima do folk “Harvest”, de 1972, o maior sucesso comercial da carreira de Young. Além disso, a memória musical nos transporta ao clássico “Old Man”, até mesmo no dedilhado estilão country, com steel guitar uivante e uma linha de baixo chamativa. É, sejamos honestos, um tanto depressiva, como as músicas de “On The Beach”.



Capa do disco 'Homegrow'



Ok, isso é bem característico. E a letra faz jus. “We go our separate ways/ Looking for better days/ Sharing our little boy/ Who grew from joy back then”, ou, em tradução livre, “Nós vamos em caminhos separados/ procurando dias melhores/ dividindo nosso garotinho/ que cresceu de uma felicidade lá atrás. Na sequência, “me for me/ You for you/ Happiness is never through”, ou, algo como, "por mim/ você por você/ a felicidade nunca é completa". O clima melhora um pouco na segunda faixa, mas nada de muito alegre. Young canta os primeiros versos com um sotaque bastante caipira, evidenciando o “erre” sertanejo do sul dos States.


Nas próximas canções Young perambula por Estados ianques, como “Florida” e “Kansas”. Em seguida, a jam sessiom “We Don´t Smoke In No More”, um blues clássico, sofrido, ave maria, já “White Line” trata-se de um tesouro descendente harmonicamente de “Heart of Gold”, de 1972. Tem solos atrativos de violão enquanto acompanha o vocal. Nada mais típico da música de Neil Young. “Vacancy” é como se fosse uma granada musical sendo explodida e estaria – se fosse lançada há alguns anos – no rol dos clássicos do músico. O disco segue com a alma folk até “Love Is a Rose”, canção que já havia sido divulgada em coletânea tripla do cantor.


“Homegrow”, de fato, é um grande disco. Mas, infelizmente, hoje em dia ele acaba tendo apenas o status de uma grande curiosidades para atender os fãs do bom e velho rock and roll. Sejamos sinceros, no entanto: trata-se, o álbum, isso sim, de uma deliciosa curiosidade.


Ficha Técnica

‘Homegrown’

Autor: Neil Young

Gênero: Folk e blues

Disponível nas plataformas de streaming